quarta-feira, 23 de abril de 2014

53 PROPOSTAS PARA UM MARANHÃO DE TODOS NÓS SÃO LANÇADAS PELO PRÉ-CANDIDATO A GOVERNADOR FLÁVIO DINO

Mais Médicos Maranhão, rede estadual de ensino profissionalizante, Pacto pela Vida, Minha Casa Meu Maranhão e Água para Todos são alguns dos programas 
propostos a partir do Diálogos pelo Maranhão
 
Durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira (23), o pré-candidato a governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB) apresentou 53 Propostas para um Maranhão com Desenvolvimento e Justiça Social ao lado do pré-candidato a senador pela oposição, Roberto Rocha (PSB), lideranças políticas e entidades civis. 
As diretrizes destacam ações nas áreas da Saúde, Educação, Saneamento, Segurança e Moradia. Mais Médicos Maranhão, rede estadual de ensino profissionalizante, Pacto pela Vida, Minha Casa Meu Maranhão e Água para Todos são alguns dos programas propostos a partir do Diálogos pelo Maranhão.

“Esse documento é mais uma etapa que cumprimos nessa pré-candidatura, que foi lançada em outubro de 2013 com milhares de pessoas presentes. Ele é fruto de uma grande mobilização social em todo o estado num sonho conjunto de busca de mais justiça social. Buscamos equacionar essas seis letrinhas: PIB e IDH e, com isso, promover desenvolvimento com justiça social”, explicou Flávio Dino. Ele apresentou todas as propostas e a fonte de recursos para a implantação de cada uma delas.

Flávio Dino defende o cumprimento do direito a uma saúde digna a todos os maranhenses. Ele destaca que hoje o Maranhão possui o menor número de médicos por habitante e o menor investimento proporcional em atenção básica do Brasil. A melhoria da oferta dos serviços de saúde perpassa o acesso à água, saneamento e habitação do Brasil.

Para isso, defende o “Água para Todos” e o “Mais Médicos Maranhão. O primeiro é uma garantia de água e banheiro na casa de todos os maranhenses. O Atlas do Desenvolvimento Humano 2013 (PNUD e IPEA) aponta que somente metade da população maranhense vive em casas com água encanada e banheiro. Para os municípios não atendidos pela CAEMA, serão feitos convênios com o governo do estado.

Já o “Mais Médicos Maranhão” vem com a finalidade de combater o déficit de profissionais no Estado, pior relação do país, com 0,7 médicos para cada 1.000 habitantes. A ideia é complementar o programa nacional com a articulação e parceria com a Universidade Federal do Maranhão, criar mais um curso de Medicina na Universidade Estadual do Maranhão, em região não atendida pelos cursos existentes e; implantar carreira de Estado para os médicos, similar a dos juízes, garantindo presença de profissionais em todas as regiões, estabilidade, remuneração adequada e promoções por mérito.

Para estabelecer um novo modelo de governança da segurança pública no Estado com instituição de metas para redução de crimes, Dino defende o “Pacto Pela Vida”. A proposta é de articular as políticas de prevenção e repressão ao crime, numa ação conjunta entre governo e comunidade, envolvendo o Poder Judiciário, o Ministério Público, a Defensoria Pública, a Assembleia Legislativa, os municípios e a União.

O direito à moradia será assegurado através do “Minha Casa, Meu Maranhão”, em parceria com o Governo Federal para construção de casas, com a meta de reformar ou construir 200 mil unidades habitacionais no Maranhão.

Para diminuir as desigualdades sociais no Maranhão, Flávio defende uma política moderna e transformadora. Ele destaca as condições do estado, com recursos naturais, posicionamento geográfico estratégico, múltiplas vocações econômicas, energia, água abundante, terras férteis, belas paisagens, enorme potencial turístico e diversidade cultural.

Para isso, a proposta de governo traz a reestruturação de todo o sistema administrativo de apoio e assistência técnica à agricultura familiar, com destaque à Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão – AGERP e ao ITERMA. O quadro técnico desses órgãos será ampliado e incentivado. Esses órgãos passarão a ser vinculados à Secretaria da Agricultura Familiar, que será criada e terá orçamento crescente ano a ano, de acordo com o crescimento da produção do setor.

Também para investir no desenvolvimento econômico do estado, Flávio defende a ampliação do benefício fiscal de dispensa parcial do pagamento do saldo devedor do ICMS para até 95%, nos casos de indústrias classificadas como de alta relevância para o desenvolvimento do Maranhão (por exemplo, agroindústrias) ou estabelecidas em municípios com baixo IDH.

Como política de governo, a Proposta por um Maranhão de Todos Nós defende a criação da Secretaria de Transparência e Combate à Corrupção, com remanejamento de cargos do Gabinete do Governador e da Casa Civil.  A Secretaria irá realizar o controle interno da administração, garantir o cumprimento da Lei de Acesso à Informação, apurar denúncias contra áreas do governo e fiscalizar a execução das despesas públicas, inclusive as realizadas mediante convênios. Além disso, sob a coordenação da Secretaria de Planejamento, um sistema de metas de desempenho para todas as áreas de governo. As metas serão públicas e fiscalizadas pela sociedade. (Assesoria)

DÉCIO SÁ: MORTE DO JORNALISTA COMPLETA DOIS ANOS

Processo contra acusados de serem mandantes da morte de Décio continua parado

Décio Sá foi executado a tiros em um bar na Praia de São Marcos. O motivo teriam sido as denúncias feitas por ele.
Décio Sá foi executado a tiros em um bar na Praia de São Marcos. O motivo teriam sido as denúncias feitas por ele.


Hoje, quarta-feira, 23 de abril, completa dois anos em que o jornalista e blogueiro Aldenísio Décio Leite de Sá, foi executado a tiros no interior de um restaurante, na Avenida Litorânea,na Praia de São Marcos,área praiana de São Luís. A polícia agiu rápido e elucidou o crime, prendendo autores e mandantes do crime praticado com requintes de perversidade e sem dar chance de defesa à vítima.

O trabalho da polícia deu origem a volumoso inquérito que foi encaminhado ao Judiciário e ali transformado no processo número 20550-432012, que se encontra parado na Primeira Vara do Tribunal do Júri, no Fórum Desembargador Sarney Costa, na Avenida Carlos Cunha, Calhau. Visto que os recursos protelatórios tem sido o forte dos advogados, patronos da defesa dos autores intelectuais do crime, objetivando “ganhar tempo”. Muitas já foram as tentativas de por em liberdade os mandantes do assassinato que encomendaram, porém os desembargadores do Tribunal de Justiça do Maranhão não se deixaram convencer pelo malabarismo jurídico dos bem remunerados criminalistas.

O crime

O assassinato do jornalista Décio Sá, foi resultado de a uma rede intrigas e teria sido motivada pelo fato daquele profissional ter feito denúncias através do seu blog, de atividades ilícitas envolvendo prefeitos e agiotas se denominam de empresários. Décio teria sido morto por denunciar o emaranhado de delitos que resultou a morte do também agiota Fábio Brasil, em Teresina. Aquela vítima tinha ligações de “negócios”, com o grupo que articulou a morte de Décio Sá, e que, por não ter cumprido “compromissos” feitos com a máfia da agiotagem, foi executado pelo mesmo pistoleiro que depois matou o jornalista.

O crime aconteceu no início da noite do dia 23 de abril de 2012, momentos depois de Décio Sá, ter chegado ao Estrela do Mar, na Avenida Litorânea (Praia de São Marcos), restaurante em que costumeiramente se reunia com amigos. Décio havia sentado à uma mesa e foi surpreendido com a chegada de um homem que foi ao banheiro e ao retornar ficou de frente para o jornalista empunhando uma pistola PT-380.

Ao deparar com aquele homem que empunhava a arma, o jornalista Décio chegou a perguntar em tom desesperado : “O que é isso rapaz” ? Em seguida foi morto com cinco dos seus tiros disparados certeiramente pelo pistoleiro. O assassino fugiu subindo uma duna onde foi visto por alguns evangélicos, que ali faziam uma vigília de orações. Chegou à avenida que fica na parte superior e desapareceu.

As polícias Civil e Militar deram início imediato às investigações e dois dias depois a Secretaria de Segurança criou uma comissão de delegados especializados para proceder as investigações, composta por Jeffrey Furtado, Maymone Barros, Guilherme Sousa Filho, Roberto Wagner, Roberto Larrat e Augusto Barros.
O grupo trabalhou 116 dias e concluiu o inquérito indiciando o assassino confesso Jhonatan de Sousa Silva, então com 24 anos, natural de Xinguara, no estado do Pará. Ele foi preso no dia 5 de junho do mesmo ano em uma chácara no Miritiua, em São José de Ribamar, portando drogas e armas de uso restrito das forças de segurança.

Culpados

Treze pessoas foram indiciadas no inquérito que chegou a 1.970 páginas distribuídas em 31 volumes, sendo elas: Gláucio Alencar Pontes de Carvalho, com 34 anos, apontado com um dos mandantes do crime e de haver financiado a execução do jornalista; seu pai José Alencar Miranda Carvalho, 72 anos, acusado de ser mandante e financiador do crime, que teria sido contratado por R$ 100 mil; o capitão da Polícia Militar do Maranhão, Fábio Aurélio Saraiva Silva, conhecido como “Fábio Capita”, então sub-comandante do Batalhão de Choque da PM, suspeito de ter fornecido a arma usada no crime, Fábio Aurélio do Lago e Silva, 32 anos identificado também como “Bochecha”; José Raimundo Chaves Júnior, 38 anos, conhecido como “Júnior Bolinha”, acusado de intermediar a contratação do crime, e Airton Martins Monroe, que teria indicado o assassino Jhonatan ao contratante Júnior Bolinha. Foram solicitadas também as prisões de Shirlano Graciano de Oliveira – o “Balão”; Elker Farias Veloso-o “Diego” e de um homem identificado apenas como “Neguinho”. Estes continuam foragidos e os demais presos em unidades do Sistema Penitenciário.

Condenados

Logo que assumiu a presidência do Sindicato dos Jornalistas, o repórter-policial Douglas Cunha manteve reunião com então presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador Guerreiro Junior, que garantiu o andamento do processo que até então estava parado.

O juiz Osmar Gomes assumiu a Primeira Vara do Júri Popular e deu seguimento ao processo, levando a julgamento o autor confesso do assassinato Jhonata de Sousa Silva e o homem que deu-lhe fuga, Fábio Roberto Cavalcante. Ambos foram condenados a mais de vinte anos de reclusão. Os demais envolvidos aguardam o dia de também serem julgados.

CRONOLOGIA

2012
Dia 23 de abril - Décio Sá foi assassinado com cinco tiros de pistola, no interior do restaurante Estrela do Mar, na Praia de São Marcos.

Dia 24 de abril – O jornalista Décio Sá é sepultado no Cemitério Jardim da Paz, em São José de Ribamar e o Disque-Denúncia/MA divulga informações sobre o principal suspeito de matar o jornalista.

25 de abril - Foi preso na Vila Pirâmide,Fábio Roberto Cavalcante Lima que teria dado cobertura e fuga para o pistoleiro que matou Décio Sá. A Polícia Civil inicia o inquérito para apurar o crime.

27 de abril - Investigações do crime passaram a ser desenvolvidas pela comissão de delegados que se transferiu para as dependências da Superintendência Estadual de Investigações Criminais – Seic, na Rua do Correio, no Bairro de Fátima.Foi decretado o sigilo das investigações.

29 de abril - Num clima de grande comoção e de revolta, foi celebrada na Catedral Metropolitana de São Luís, a missa de 7º Dia da morte do jornalista Décio Sá.

30 de abril - A presidente Dilma Rouseff recebe pedido de rigor nas investigações do assassinato do jornalista, através de carta do Comitê de Liberdade de Imprensa da Overseas Press Club of América, de New Iork ( USA).

Dia 11 de maio - A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, presidida pelo deputado Domingos Dutra (PT/MA) divulgou, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MA), o resultado de diligência feita sobre a morte do jornalista Décio Sá. Presentes também os deputados Érika Kokay (PT/DF) e Severino Ninho (PSB/PE), que participaram das diligências.

Dia 23 de maio – Sub delegado geral da Polícia Civil, Marcos Affonso, solicita à Justiça, a prorrogação do prazo para as investigações sobre o assassínio do jornalista Décio Sá.

23 de agosto – É concluído e enviado à Justiça o inquérito elaborado pela Polícia Judiciária para apurar o crime.

2013
28 de janeiro – Teve início audiência presidida pelo juiz Márcio Brandão tendo o promotor de Justiça Luis Carlos Correa Duarte representando o Ministério Público , na Primeira Vara do Tribunal do Júri, que chegou a ouvir os depoimentos de três testemunhas e foi suspensa e invalidada através de hábeas-corpus impetrado pelo advogado Aldenor Rebouças Junior e concedido pelo desembargador Raimundo Nonato Sousa.

01 de fevereiro - Em atendimento a recurso interposto pelo Ministério Público, o desembargador Lourival Serejo suspendeu os efeitos do hábeas-corpus que interrompeu os depoimentos das testemunhas, na audiência de 28 de janeiro. Uma nova audiência foi realizada posteriormente.

05 de abril – A defesa do capitão da Polícia Militar Fábio Aurélio Saraiva Silva – o “Fábio Capita “ ajuizou pedido de liberdade provisória na 1ª Vara do Tribunal do Júri Popular da Capital. Tal pedido foi denegado.

07 de abril - O desembargador Froz Sobrinho, que estava no plantão do Tribunal de Justiça, concedeu hábeas-corpus ao capitão PM Fábio Aurélio Saraiva Silva – “Fábio Capita”, mas o militar foi mantido preso em face de haver contra ele, um decreto de prisão preventiva pelo Judiciário de Teresina-Piauí, onde ele está sendo processado acusado de participação no assassinato do empresário Fábio Brasil. Posteriormente ele foi posto em liberdade provisória, assim como acusado Fábio Aurélio do Lago e Silva- o “Bochecha”.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

NOVAS INSTITUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO

Em artigo, Flávio Dino comenta as bases para um Maranhão Democrático, que conjugue desenvolvimento econômico e social.


NOVAS INSTITUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO

* Flávio Dino

Por que algumas nações são ricas e outras pobres? No bestseller de economia – Por que as nações fracassam –, Daron Acemoglu e James Robinson constroem uma teoria relevante para responder à questão e demonstram, após 15 anos de pesquisa, que são as instituições políticas e econômicas que estão por trás do êxito ou do insucesso dos povos.

Na base desse raciocínio, o desenvolvimento só será virtuoso se tais instituições deixarem de ser parasitárias, e puderem resistir às tentativas das elites de reforçar seu próprio poder, em proveito apenas de uma pequena minoria. Acemoglu e Robinson poderiam ter usado o Maranhão como exemplo para suas teses.

O Estado possui enormes disparidades, fruto da má distribuição de riquezas, do acesso desigual aos serviços públicos e aos bens de uso comum, como os recursos naturais. E vive o desafio de ser potencialmente rico e ter os piores indicadores sociais do Brasil.

Não é preciso perder tempo com explicações absurdas que atribuem à cultura ou mesmo à geografia as razões de tal atraso social. O Maranhão é pobre porque seus cidadãos são ainda hoje privados de instituições políticas capazes de gerar incentivos básicos para garantir o desenvolvimento.

Enquanto o Brasil consolidou o seu sistema democrático de governo, capaz de garantir a alternância de poder e resultados econômicos positivos, no Maranhão o poder político continua concentrado nas mãos de uma elite que não tem interesse em assegurar direitos básicos da população e não investe na prestação de serviços públicos capazes de fomentar o progresso do Estado: 39,5% da população vive com menos de R$ 140,00 por mês, o pior resultado do país nesse indicador.

Serviços básicos, como o acesso regular à água tratada, não estão acessíveis para mais de 3 milhões de maranhenses e apenas 7,6% dos domicílios do Estado têm ligação com a rede geral de esgoto.

Uma das consequências diretas da falta de saneamento é a alta mortalidade infantil, quase o dobro da média nacional. E, infelizmente, poderíamos continuar indefinidamente a elencar números escandalosos, reveladores de dores e sofrimentos irreparáveis.

É possível reverter essa realidade. Temos muitas vantagens comparativas: a abundância e diversidade dos recursos naturais, com destaque para a água; a localização estratégica; energia abundante etc. O aumento do comércio mundial pode ser fator real para o desenvolvimento do Estado. Com uma localização privilegiada, o Maranhão está mais próximo dos mercados norte-americano e europeu e, pelo acesso através do canal do Panamá, das importantes economias asiáticas.

Precisamos implantar um novo modelo de desenvolvimento, que olhe inclusive para a formação de um mercado de consumo de massas – por intermédio de atividades como a agricultura, a pecuária, a pesca e a aqüicultura. A estruturação desse mercado interno irá gerar oportunidades mais sólidas de negócios na indústria, no comércio e nos serviços.

Além disso, é preciso criar uma espécie de “rede de inteligência do bem”, rompendo barreiras que hoje limitam o desenvolvimento dos setores mais dinâmicos da economia, que dependem fortemente da inovação, da tecnologia e da capacidade criativa.

Entre outros setores, o turismo deve ser dirigido de forma estratégica e rentável, pois se trata de uma cadeia complexa e de uso intensivo de recursos humanos, isto é, tem aptidão de gerar muitos empregos. O patrimônio cultural do Estado é diferenciado, abrangendo edifícios, artes, comidas, usos e costumes.

O Maranhão tem todas as condições de ter uma economia competitiva, mas requer um governo capaz de conciliar o crescimento com a inclusão econômica e social dos setores mais pobres da população.

O primeiro passo, como sublinhado na obra Por que as nações fracassam, é a transformação das instituições políticas, garantindo o fim do longo domínio de uma elite parasitária cujos únicos interesses são: extrair renda de forma não produtiva e a sustentação do seu próprio poder político.

Há uma janela de oportunidades para mudar esse estado de coisas, atraindo o setor empresarial e as organizações da sociedade civil para participar do esforço de erradicação da pobreza no Maranhão. É hora de conquistarmos instituições do século 21.

* Flávio Dino, advogado e professor de Direito Ambiental na Universidade Federal do Maranhão. Foi juiz federal, deputado federal e presidente da EMBRATUR.

"MARIA BATALHÃO": GAROTA AFIRMA QUE JÁ SAIU COM MAIS DE MIL PMS

 
4wi9ufo4kv_1uvk3929lt_file

A personagem que fez sucesso e causou muita polêmica na última semana não se arrepende de nada. A Maria UPP, mulher que apareceu em fotos de orgias com policiais de Unidades de Polícia Pacificadora do Rio de Janeiro (RJ), afirmou, em entrevista à Rede Record, que já saiu com mais de mil PMs. 

Perguntada sobre o motivo, Patrícia Alves, uma pernambucana de 23 anos, foi sucinta:

— Fiz porque gosto de sair com os “polícia”. Já saí com mais de mil. A Maria UPP, que prefere o apelido de "Patificação", revelou que se relaciona com policiais há mais de cinco anos. Geralmente, nas bases das UPPs. Segundo ela, as visitas se estenderam pelas 37 unidades espalhadas pelo Rio.

— Fui a todas as UPPs. Fazíamos no horário de serviço, mas às vezes também saímos juntos. A maioria dos policiais eram casados.

A fama repentina e inesperada fez a família de Patrícia cortar a mesada que recebia durante os oito anos que vive no Rio. Mesmo assim, ela não se arrepende.

— Estou com a consciência tranquila, não fiz nada de errado. (do R7)

"O PRESIDENTE FALA": JULIÃO AMIM ESCLARECE SITUAÇÃO DO PDT

O Imparcial
 “Nós não podemos nos afastar do Flávio”, diz Julião AmimO PDT é considerado o maior partido da oposição no Maranhão. Não só por já ter eleito um governador – Jackson Lago – mas também por possuir a maior militância no estado. São mais de 50 mil filiados nos 217 municípios. Diante dessa importância, a legenda tem sido fundamental para vitória de Edivaldo Holanda Júnior (PTC) na prefeitura de São Luís e pelo crescimento de Flávio Dino (PCdoB).
Apesar de toda essa importância, o presidente da sigla no estado, Julião Amim, deixa bem claro que sua maior preocupação é com a vitória da oposição e não por ocupação de cargos. Tanto que ele chega a afirmar, que abre mão da vaga de vice-governador, em troca de uma ampliação da bancada pedetista na Câmara Federal.
O ex-deputado federal enaltece o principal líder do partido no Maranhão, Jackson Lago e gosta de lembrar que o partido tem penetração em todos os bairro da capital, por isso precisa ser respeitado.
Julião ainda acredita que não existirá racha no PDT até a realização das eleições, que os membros descontentes estarão unidos em torno do projeto maior, que é dar a oposição a vitória nas urnas. Ele lembra ainda que construiu junto com Flávio Dino esse projeto do Partido do Maranhão.

Confira na íntegra a entrevista:
O Imparcial – Como o PDT reagiu a aproximação do Flávio Dino com o PSDB?

Julião Amim – Com naturalidade. Nós entendemos que quanto mais aliados o Flávio for buscar para vencer as eleições, será importante para todos nós. O PDT que incentivou desde o primeiro essa candidatura, que apoia, então cabe a nosso partido estar junto com o Flávio dando sugestões. Mantendo o posicionamento de enfrentamento ao grupo Sarney. Dessa forma acredito ser natural ele buscar o apoio de até outros partidos, para integrar, enriquecer e fortalecer nosso campo. Pois não queremos apenas participar, nós queremos vencer a eleição.

E quanto à vaga de vice? O Carlos Brandão disse que é uma condição primordial para que o PSDB declare apoio?

Acho legítimo essa postura e até reajo com maior naturalidade. O que a gente tem que entender é que vaidades e pretensões pessoais não devem ser colocadas na frente, pois temos um sonho maior que é mudar o Maranhão. A nossa primeira prioridade é ajudar a vencer a eleição do estado. O que nos interessa é mudar as práticas cometidas na política nos últimos anos. E o Flávio é um homem muito inteligente, um homem preparado e no momento exato ele chamará o conjunto de partidos para discutir essa questão.

Dessa forma, mesmo que o PDT não tenha vice, o partido não deixará de caminhar com Flávio Dino?

Eu entendo que não. Nós não podemos nos afastar do Flávio. Nós iniciamos esse processo, não podemos nos afastar. Se isso acontecer, deixaremos a nossa prioridade maior de lado, que é vencer as eleições, mudar o Maranhão. Claro que o partido tem os seus interesses, que é legitimo, mas não pode botar acima do nosso maior objetivo. Entendo que o PSDB e os demais partidos também devem pensar assim. Devem lembrar também que o PDT já se sacrificou muito e já demonstrou muita competência, com as melhores administrações em São Luís. Mostramos isso na prática. Nós estamos firmes.

No entanto existem membros que fazem parte desse grupo, que defendem a saída do PDT dessa frente. Como o senhor recebe essa informação?
Olha eu lamento profundamente. Isso só evidencia o despreparo e a intolerância na convivência democrática. Quem pensa assim, não tem como conviver com os contrários.

O PDT no Maranhão ele é comandado por uma pessoa ou os seus filiados ainda tem força para tomar decisões na coletividade?

O partido nunca teve dono. O PDT já teve um líder, que foi o Brizola. Ele discutia com os segmentos e levava para o partido, era um líder inconteste. No Maranhão, tivemos o Dr. Jackson Lago. Inclusive acredito que nos próximos 100 anos, não aparecerá um líder na política maranhense com as qualidades morais de Dr. Jackson. Quem conviveu com ele, sabe qual papel ele desempenhou. Um homem extremamente tolerável, que sempre tinha lições a passar para nós. Um homem de origem modesta, que conseguiu chegar ao governo com suas atitudes. Hoje não temos o Dr. Jackson, temos um diretório, que discute e tem o diálogo aberto. Existem segmentos fragmentados no partido, mas tudo é muito discutido no PDT.

Existe um racha no PDT hoje? Após a escolha do vice do partido, alguns companheiros se afastaram da legenda. Ainda é possível o PDT caminhar unido nessa eleição?

É claro que é possível. Há anos o partido está mobilizando sua militância, discutindo o projeto político para o estado, inclusive o Flávio Dino participou de várias reuniões. Alguns dos insatisfeitos, se afastaram do partido e não discutiram mais. Eles pensavam que o Flávio Dino iria impor um nome para nós, mas não. Isto seria antidemocrático. Então o partido discutiu ao longo do tempo qual nome seria escolhido e infelizmente no dia da escolha, pessoas que não estavam participando do debate, colocaram seu nome.

Em relação às eleições proporcionais, qual é a meta do PDT?

Eu levei ao presidente nacional, o que é prioridade. O partido precisa se consolidar e eu gostaria que o partido elegesse uma bancada boa de deputados federais. Para ampliar o debate de suas bandeiras. A educação é a nossa prioridade. O partido precisa utilizar o parlamento para fazer essas mudanças. Dessa forma coloquei isso para o Lupi, mas existem alguns companheiros do partido no Maranhão, que acham que a prioridade é uma vaga na chapa majoritária. Eu prefiro fazermos uma chapa que ofereça condições de elegermos 3 ou 4 deputados federais do que ter uma vaga de vice-governador. Vocês tem conhecimento que em muitos casos, o vice fica marginalizado, ninguém nem dá atenção, já o deputado não, ele tem independência. Mas a questão da vice foi tratada como prioridade por alguns companheiros, então temos que respeitar.

E qual seria esse caminho para eleger mais deputados federais? Uma candidatura própria?

Primeiro passo para que isso aconteça, eleger um governador comprometido com mudanças. O que deveríamos fazer para aumentar nossas chances de eleição de deputados? É se integrar a campanha do Flávio, se fazer presente. É discutir nossa participação em um futuro governo. Temos legitimidade e autoridade para discutirmos isso. Nós temos que retomar o caminho de liderança, vencer essa eleição e nos preparar para as futuras.
E qual é a participação do PDT na administração municipal?

Nós temos dirigimos o IPAM, administramos o esporte e participamos em diversas assessorias técnicas. Entendemos que poderíamos ter uma participação maior. Depois da eleição deste ano, devemos discutir a nossa participação na administração municipal, temos que amplia-la.
O PDT ainda sonha em ter um papel de protagonista no governo maranhense?

Eu acho que o nosso sonho é vencer as eleições. Mas gostaríamos de ser respeitados. Nós vencemos com Dr. Jackson, mas tivemos muitos conflitos ideológicos na sua administração. Um homem de esquerda, que teve que governar também com parte da direita. Existia tanto conflito, que solicitei ao Jackson que demitisse todo seu secretariado, pois o povo amava seu governante, mas não amava seu governo. Então o Flávio também tem que se preparar para isso.

"UM NOVO MARANHÃO": PROPAGANDA "INSTITUCIONAL" DE ROSEANA FAZ APELO ELEITORAL


Termos como "tem gente que insiste em andar na contramão" e "continue com a gente", estão sendo utilizados na propaganda que se diz institucional do governo Roseana. Que teria a ver essas duas citações com o tema se não fossem verdadeiros  apelos eleitorais?

"Tem gente que insiste em andar na contramão", seria uma indireta para aqueles que preferem a oposição? Bom, pode -se alegar que o a citação é totalmente inocente. Ok, mas essa dita ao final do spot, "Continue com a gente"? Ah, essa ai está na cara, é um apelo desesperado igual aquele do Collor ao povo quando estava prestes a ser cassado: "não me deixem só". Ou seja, "continuem votando em nosso grupo, só temos 50 anos no poder, queremos mais uns 50..." 

Seria cômico se isso não estivesse sendo pago pelo povo maranhense.

Outro fato que parece passar despercebido por todos é o tanto de inserções que estão sendo feitas nas programações das principais emissoras de Rádio e TV do Maranhão, com destaque para o Sistema Mirante, onde dizem que a governadora  Roseana é uma das sócias. Gente é algo que se alguém resolver contar, vai ficar surpreso, pois é a cada intervalo da programação que rola  durante 24 horas na maior emissora de TV do estado.
Quem sabe o nosso leniente Ministério Público do Maranhão (pelo menos nos assuntos relacionados ao governo estadual) pudesse nos dar algumas  respostas sobre isso:

1- É lícito essa saliência numa propaganda institucional? 
2 - Quanto custa essa  propaganda paga com recursos públicos?
3 - Qual o limite para essas inserções?

Em tempo: aqui no blog, em matéria recente, AV. PEDRO NEIVA DE SANTANA, O RETRATO DA INCÚRIA DO GOVERNO ROSEANA fiz uma pergunta ao Ministério Público do Maranhão, mas até o presente não recebi nenhuma resposta, então aproveito para relembrar: EM QUE DEU MESMO A AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO?

21 DE ABRIL: 15 CURIOSIDADES SOBRE TIRADENTES

Feriado nacional, 21 de abril é dia de Tiradentes. Para mim desde a infância  quando aprendi isso na escola, um dos maiores heróis de nosso país. 

Muitos hoje tratam do tema, porém, para não abordá-lo da mesma maneira que “zilhas” de historiadores em seus blogs e sites, vamos fazê-lo de forma diferente. Vou apresentar nesta lista, algumas curiosidades acerca deste homem que foi transformado em herói nacional.

As pinturas de Tiradentes mostradas no artigo foram feitas, respectivamente, por Décio Villares, Pedro Américo e Cândido Portinari. Percebam que todos eles representam Tiradentes como Cristo, apesar do rosto verdadeiro nunca ter sido realmente conhecido.


- Seu nome completo era Joaquim José da Silva Xavier. Nasceu no ano de 1746, na Fazenda do Pombal, distrito de São João del Rey, em Minas Gerais. Porém, não há registro da data de seu nascimento, apenas do seu batismo, em novembro daquele mesmo ano.

- Ao contrário do que seu apelido insinua, Tiradentes não suportava arrancar dentes. Ele era muito mais a favor de preservar os dentes do que arrancá-los. Porém, quando arrancar era irremediável, ele colocava coroas artificiais, feitas de marfim e de osso de boi, que ele mesmo fabricava.

- Aos 40 anos, se apaixonou por Ana, uma menina de 15 anos, mas ela já estava prometida a outro homem. Tiradentes nunca se casou, mas teve 2 filhos – João, com Eugênia Joaquina da Silva, e Joaquina, com a viúva Antônia Maria do Espírito Santo.

- Tiradentes tentou várias profissões: dentista, tropeiro, minerador e engenheiro. Entrou, então, para a Sexta Companhia de Dragões de Minas Gerais, como alferes, uma espécie de segundo-tenente.

- Tiradentes está diretamente ligado ao movimento que ficou conhecido como “Inconfidência Mineira”. Os historiadores preferem “Conjuração Mineira” já que o que aconteceu em Minas Gerais foi um ato organizado para conquistar a independência do país e não um ato de deslealdade, traição ou infidelidade, que servem para traduzir a palavra inconfidência.
Pintura de Tiradentes esquartejado, feita por Pedro Américo

- Segundo relatos da época, Tiradentes era alto, magro e muito feio. Ele nunca usou barba e cabelos longos. Como militar, o máximo que se permitia era um discreto bigode. Ele foi enforcado no Rio de Janeiro, com a barba feita e o cabelo raspado, no dia 21 de abril de 1792.

- “Pois seja feita a vontade de Deus. Mil vidas eu tivesse, mil vidas eu daria pela libertação da minha pátria”, teria dito Tiradentes ao ouvir serenamente a sua sentença de morte.

- Após o enforcamento, seu corpo foi esquartejado. As 4 partes foram postas em alforjes com salmoura, para serem exibidas no caminho entre Rio de Janeiro e Minas Gerais. A casa de Tiradentes em Vila Rica foi demolida, e o chão, salgado, para que nada brotasse naquele solo.

- A cabeça de Tiradentes foi levada do Rio de Janeiro para Vila Rica, em Minas Gerais e ficou exposta num poste em praça pública. Na terceira noite, foi roubada e nunca mais foi encontrada.
- Foi no Rio de Janeiro que Tiradentes entrou em contato com as idéias revolucionárias iluministas. O que poucos sabem, é que ele também se dedicou a projetos de melhoria urbana do Rio. Idealizou abastecimento regular da cidade, construção de moinhos, trapiches, armazéns, além de serviços de barcas de transporte de passageiros.
Pintura de Tiradentes esquartejado, feita por Cândido Portinari

- Ironicamente, 30 anos depois de ter projetado essas melhorias, Dom João VI mandou fazer a canalização do rio, seguindo os planos de Tiradentes. Em 1889, exatamente 100 anos depois, o engenheiro André Paulo de Frontin canalizou as águas da Serra do Tinguá, dentro dos mesmos moldes arquitetados pelo inconfidente.

- Tiradentes não foi considerado um herói tão logo morreu e só passou a ser cultuado 98 anos após a sua morte. Como defendia idéias iluministas republicanas e antimonarquistas, durante o período imperial brasileiro, seu nome quase não era citado.

- Em 1870, o movimento republicano o elegeu como mártir cívico-religioso e antimonarquista. A data de sua morte tornou-se feriado nacional em 1890. A primeira pintura oficial também data deste ano, de autoria de Décio Villares, que apresenta Tiradentes como Cristo, com barbas e cabelos longos.

- Tiradentes teve também exaltada sua imagem de militar patriota, quando nomeado patrono da nação pelo governo militar, em 1965, enquanto os movimentos de esquerda não deixaram de recorrer a ele como símbolo de rebeldia.

- Tiradentes é o único brasileiro cuja data de morte se comemora com um feriado nacional. É também o mais citado no Google, com mais de 2 milhões de páginas de referência no buscador. (História Digital)

domingo, 20 de abril de 2014

"FOI POR UM TRIZ": CARRO É ATINGIDO POR TREM DE PASSAGEIROS NA FERROVIA CARAJÁS

Mecânico que dirigia o veículo escapou com vida, apenas com um corte na cabeça.

18/04/2014 às 07:29 em Acidente
CARRO ATINGIDO
Um carro de passeio foi atingido por um trem de passageiros, nessa quinta-feira (17) na Ferrovia Carajás, na estrada que dá acesso à zona rural de Santa Inês, no Maranhão. O motorista, que estava sozinho no veículo, acabou ferido.

O mecânico Francisco Sousa Lobo (41), seguia para visitar os pais no povoado Barradiço. Ao tentar passar pela estrada de ferro, acabou tendo carro atingido pelo trem de passageiros da Vale.

Com a força da batida, o carro foi jogado para fora da estrada, o mecânico foi levado para o hospital com um corte na cabeça e não corre risco de morte. O trem de passageiro seguiu viagem enquanto técnicos da companhia que administra estrada de ferro foram até o local para controlar o tráfego.

A Vale informou que o maquinista adotou todos os procedimentos de segurança, mas não houve tempo hábil para que a composição parasse completamente.

A empresa reforçou, ainda, que investe em campanhas educativas ao longo da Estrada de Ferro Carajás para esclarecer à população sobre as condutas que devem ser adotadas para uma convivência segura na ferrovia. (Blog do Antonio Marcos)

sexta-feira, 18 de abril de 2014

PERDIDA, COM CANDIDATO FRACO, OLIGARQUIA AGORA APOSTA NA DIVISÃO DA OPOSIÇÃO E TENTA CAUSAR CONFUSÃO NA CABEÇA DO ELEITOR

 Sem candidato competitivo ao governo e indefinida quanto ao nome para o senado, a oligarquia Sarney e seu grupo político agora aposta na divisão da oposição e tenta confundir a opinião pública.

Para tanto escalaram jornalistas, blogueiros, apresentadores de TV,  entre outros "amilhados", para diariamente divulgarem noticias de toda ordem. Já lançaram mais dois  candidatos ao senado (João Castelo e Eliziane Gama), ora publicam  matérias excluindo o PDT do arco de alianças da oposição e lançando candidato deste ao governo. Enfim, são tantas as análises políticas do quadro oposicionista de maneira desfavorável, que um leigo ou desavisado sobre as reais intenções desses escribas, pode realmente ficar confuso. Até uma pesquisa falsa já inventaram!

Aqui em Imperatriz, o velho Connor Farias "de guerra", já está em campanha aberta a favor de Edinho Lobão e fazendo suas análises estapafúrdias contra Flávio Dino e a oposição. Pense numa cantilena repetitiva!!!

Sorte da oposição é que esse moço não conta mais com muita credibilidade jornalística. Defensor do indefensável Connor é daqueles que é governo, até a hora da morte. Os motivos, todos sabem, basta ver o tanto de vez que ele repete a propaganda do governo Roseana durante seu programa. Foi assim em janeiro de 1995 quando o Fórum da sociedade Civil  organizava a tomada da prefeitura e ele ficava na TV defendendo Salvador Rodrigues. Dizem que Connor teria recebido 14 mil reais para realizar o carnaval, naquela época na praça Mané Garrincha. 

Foi assim, quando defendia Ildon Marques, chegando ao ponto de ser o autor do apelido de "Pisada de Porcão", termo que utilizava para enaltecer as qualidades de caudilho do ex-prefeito. Só pulou fora quando viu que a causa estava perdida.

Mas, voltando ao início do texto, é bom que a sociedade fique atenta e que os oposicionistas não caiam nessa esparrela de dar crédito à fuxicada  que estão tentando fazer para intrigar os partidos e suas lideranças. O desespero deles é grande, principalmente depois que Flávio Dino esteve com Aécio Neves e voltou dizendo que sua coligação será mesmo uma grande Arca de Noé, onde caberão todos os "bichos políticos" que se reunirão no grande Partido do Maranhão para derrotar o Dinoussauro Sarney.

Juízo minha gente, não caiam nessa! #Vamosjuntos!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

COQUETEL MARCA LANÇAMENTO DA FANPAGE CEMAR 116 EM IMPERATRIZ


A imprensa de Imperatriz esteve reunida na última quarta-feira (16), na Executiva Lounge Bar no Imperial Shopping, para o lançamento da fanpage CEMAR 116. Durante a apresentação, os jornalistas puderam conhecer a novidade que a Companhia já oferece na página, onde um aplicativo permite ao cliente ter acesso ao atendimento, sem precisar baixar nenhum programa.

É possível solicitar serviços como informar a falta de luz, emitir a segunda via da conta, até a busca por informações sobre qualquer processo conduzido pela Companhia. O aplicativo também guarda todos os dados que o cliente inseriu no último acesso, para que não seja preciso digitá-los novamente, como endereço, ponto de referência e unidade consumidora. (Assessoria).

Para acessar a página, clique aqui.