quarta-feira, 2 de novembro de 2011

MEU PAI, O FERREIRO APOLÔNIO RODRIGUES MOURA

Apolônio Rodrigues Moura (1931/1976)
Neste dia de finados quero reverenciar a memória de meu pai, APOLÔNIO RODRIGUES MOURA, nascido em PRESIDENTE DUTRA-MA, em 1931 e morto em SANTARÉM-PA, em 24 de outubro de 1976.

Se estivesse vivo, meu pai estaria este ano com 80 anos, mas teve sua vida ceifada aos 45 anos, por um louco, um bêbado no trânsito, na porta da sua casa.

APOLÔNIO era casado com ANTONIA ALMEIDA MOURA (vivíssima, aos 75 anos) e deixou órfãos sete filhos menores, a saber este escriba (JOSUÉ MOURA), JÔNATHAS, JOSAFÁ, JOEL, JOABE, JOÉ E JOBABE.

Homem simples, porém auto-didata, de uma sabedoria invejável, meu pai, "O FERREIRO" APOLÔNIO, era filho de LOURENÇO MACIEL DE MOURA e "MARIA RODRIGUES MOURA, a Dona "MOCINHA", ambos piauienses, que vieram para o Maranhão nos idos de 1920, instalando-se na "MATA DO NASCIMENTO", povoação pertecente a Presidente Dutra e que mais tarde viria a se tornar o município de Dom Pedro.

De meu pai, apesar da tenrã idade que eu tinha quando ele se foi, tenho muitas lembranças. Dele guardei boas lições e o gosto pela leitura, já que logo que aprendi a ler, por volta dos sete anos, ele trabalhava em sua oficina de ferreiro e me punha para ler pra ele em voz alta desde a Bíblia alguns romances clássicos e até mesmo literatura de Cordel.

Alegre e jovial, lembro-me de suas gargalhadas e brincadeiras quando nos momentos de folga deitava no chão da sala para se divertir com a sua prole ouvindo as nossas disputas infantis e adorava nos colocar para uma "luta livre",sempre cuidando para não se tornar violenta nem que uma das partes se zangasse. Também nos incentivava nas partidas de "pelada" de futebol num pequeno campo improvisado na porta de nossa casa.

Seus restos mortais se encontram no cemitério do Gavião em Belém-PA, onde depois de 31 dias de sofrimento (estava em coma, muito machucado, teve até traumatismo craniano) morreu no Hospital Adventista de Belém.

Neste dia de finados, lembro dele, cultuo a sua memória e rogo para que esteja bem, descansado na paz dos justos, já que era um deles e morreu na esperança da ressurreição...

Um comentário:

sóFALOaVERDADE disse...

Gostei amigo da maneira respeitosa como você até hoje lembre de seu pai. Que ele descanse em paz.