sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

DEOCLIDES MACEDO E DEPUTADA VALÉRIA MACEDO APÓIAM MANIFESTAÇÕES CARNAVALESCAS NO SUL DO MARANHÃO



Dentro do clima, o ex-prefeito de Porto Franco Deoclides Macedo e a sua irmã, a deputada estadual Valéria Macedo, estão dando apoio cultural as manifestações carnavalescas em vários município da região tocantina e sul do Maranhão.

Além do apoio a blocos e grupos carnavalescos, Deoclides e Valéria conseguiram – com recursos próprios e em alguns municípios com apoio das secretarias de cultura – uma Jardineira que irá percorrer vários municípios da região, nos quatro dias da folia de Momo.

A Jardineira “do Jeito que o Povo gosta” é animada pela Banda “Carnaval Folia”.

Confira a Programação e participe da festa!

PROGRAMAÇÃO

JARDINEIRA“Do Jeito Que o Povo Gosta”
BANDA: Carnaval Folia

SEXTA-FEIRA – 28/FEV/2014
Grajaú – MA
15h30min – Concentração Praça da Rodoviária
18h30min – Enceramento na Praça Raimundo Simas (Centro)
Lajeado Novo – MA
20h00min – Concentração no Povoado Passagem Boa

SÁBADO – 01/MAR/2014
Porto Franco – MA
15h00min – Concentração no Espaço Cultural Waldemar Pereira
17h00min – Saindo pelas ruas e avenidas da cidade acompanhando o Bloco Periquitos da Madame até o Bar do Políbio.“Do Jeito Que o Povo Gosta”
(Apoio Prefeitura Municipal de Porto Franco- gestão Aderson Marinho e Fortunato Macedo)

São João do Paraíso – 01 Março 2014 (noite)
21h00min - Apresentação na  Praça da Cultura.

DOMINGO – 02/MAR/2014
Porto Franco – MA
09h00min – Bairros Vila Nova, Vila Carmelina, CIBRAZEM, Entroncamento e São Francisco.“Do Jeito Que o Povo Gosta”
Governador Edison Lobão – MA
15h00min – Concentração Praça Osório Filho (Centro)
Campestre do Maranhão – MA
19h00min – Concentração em frente à Drogaria Esperança passando 20h00min – Saindo pelas ruas JK e Onildo Gomes, enceramento na Praça da Liberdade

SEGUNDA-FEIRA – 03/MAR/2014
Porto Franco – MA
15h00min – Carnaval de rua de Porto Franco “Do Jeito Que o Povo Gosta”
Sítio Novo – MA
21h00min – Avenida Governador José Sarney (Centro) “ Carnaval2014 – Alegria Está Te Esperando”


TERÇA-FEIRA – 04/MAR/2014
Estreito - MA
15h00min – Concentração no Bloco Vumbora – Em frente                      Supermercado Padre Cícero.
17h00min – Saindo pela Avenida Tancredo Neves até o Bloco Bat-Cachaça em frente Pippus Dance Night.
“Carnaval 2014 de Estreito Cada Vez Melhor”

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

PRESIDÊNCIA DA ASSEMBLEIA SE REÚNE COM VEREADORES E DEPUTADOS PARA TRATAR SOBRE A QUESTÃO TERRITORIAL QUE ENVOLVE SENADOR LA ROCQUE, JOÃO LISBOA E BURITIRANA


O fato concreto é que o encaminhamento da questão já foi feito através do Projeto de Decreto Legislativo n.º 002/20104 de autoria da Deputada Valéria Macedo, tendo já o compromisso do Presidente Arnaldo Melo de retomar a questão após o carnaval.



O Presidente da Assembleia Legislativa Arnaldo Melo (PMDB) recebeu nesta quarta-feira (26) os vereadores Bartolomeu Gomes, Fatinha Sousa, Ozima Cury-Rad, Kássia Gomes, Maricélia Menezes, Rinaldo Alves, Deusa Gomes, Rita Barros e Wilias Silva, bem como a deputada Valéria Macedo (PDT), os deputados Antonio Pereira (PMDB), Hélio Soares, Carlos Amorim, André Fufuca, Dr. Pádua, dentre outras lideranças e assessores para tratarem da questão da redefinição territorial dos municípios de João Lisboa, Senador La Rocque e Buritirana.
 
O Presidente Arnaldo Melo abriu a reunião sustentando que está a par da problemática que envolve esta questão alusiva a Senador La Rocque e comprometeu-se a depois do carnaval retomar na Casa a questão que, a seu juízo, foi deflagrada agora com o projeto da Deputada Valéria Macedo, mas que existe em vários outros municípios e regiões do estado, e que necessitam de uma resposta institucional profunda e concludente. 

O advogado Marco Aurélio Gonzaga Santos, da assessoria da Deputada Valéria Macedo, fez exposição da questão jurídica que envolve o problema, esclarecendo que em termos jurídicos há um vácuo legislativo que precisa ser preenchido pela Assembleia Legislativa com a resolução definitiva do problema. 


Gonzaga Santos explicou que “com a revogação por incompatibilidade com o art. 10 da Constituição Estadual da Lei n.º 265/2001, os 15 povoados excluídos das leis dos três municípios limítrofes, embora  vinculados sociológica, administrativa e politicamente ao Município de Senador La Rocque, ficaram sem pertencer legalmente a nenhum dos três municípios, uma vez que o sistema jurídico brasileiro não admite sequer a repristinação das normas válidas dos três municípios que deixaram de vigorar no que diz respeito aos limites territoriais em razão das alterações feitas pela Lei n.º 265/2001”. 

Os povoados em questão são: Tabuleirão I; Centro dos Machados; Açaizal Grande; Cajá Branca; Olho d’Água; Jenipapo; PA Novo Horizonte; Parsondas; Arapari; Centro do Zezinho; Centro do Toinho e Projeto de Assentamento Pingo de Ouro; Lagoa da Cigana e Alvorada III.

O vereador Bartolomeu Gomes (PDT) alega que os municípios de Buritirana e João Lisboa recebem recursos do governo federal para administrar os povoados, mas de fato, segundo ele, é Senador La Rocque o município responsável pelos moradores dessas regiões.

“A verdade é que há 17 anos estes povoados vêm sendo administrados por Senador La Rocque, só que de direito não são. Quem recebe a verba é João Lisboa e Buritirana. Temos que dá conta de cerca de 20 mil moradores com recurso de R$ 14 mil. FPM, assistência saúde e educação ficam prejudicadas, porque o dinheiro cai lá e nós ficamos sem ter como investir. Só quem sofre é a população”, disse o Vereador Bartolomeu Gomes com a anuência dos demais vereadores presentes na reunião.

O fato concreto é que o encaminhamento da questão já foi feito através do Projeto de Decreto Legislativo n.º 002/20104 de autoria da Deputada Valéria Macedo, tendo o compromisso do Presidente Arnaldo Melo de retomar a questão após o carnaval na Assembleia, segundo ele não só para o caso de Senador La Rocque, mas para vários outros municípios do estado. 

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

SERRA PELADA: O DINHEIRO DA CAIXA EXISTE?

CAIXA-MATRIZ
Sede da Caixa Econômica Federal em Brasília
Desde que assumiu a intervenção Marcos Alexandre ouviu falar sobre o dinheiro que estaria na Caixa Econômica, porém dentro da cooperativa não há um documento que faça menção desse valor segundo ele. Ou seja, para quem não conhece esse processo desde o início ele é duvidoso, existe ou não existe esse dinheiro na Caixa Econômica? Indaga o interventor.

marcos-alexandre
Marcos Alexandre – Interventor da Coomigasp
Segundo Marcos Alexandre a intervenção foi atrás dessa resposta e chegou até os advogados responsáveis pelo processo, um deles o Dr. Sergio Couto, que gentilmente repassou todas as informações sobre o processo e a ação de pedido de desbloqueio desse valor, ou seja, o dinheiro na Caixa Econômica existe sim, segundo a intervenção.

marcos-alexandre“Uma informação muito importante, porque esse valor não foi liberado a 32 anos? A resposta é simples, porque a cooperativa nunca teve credibilidade perante os órgãos federais, hoje a intervenção tem dentre outras essa obrigação da início ao resgate dessa credibilidade ou começar a construir isso junto aos órgãos competentes e a sociedade”, explicou o interventor.

marcos-alexandre
marcos-alexandreOutra informação repassada na entrevista é que, ainda que esteja em intervenção esse valor não será liberado tão rapidamente. “Ainda é importante informar que sendo esse valor liberado a Caixa Econômica não fará o repasse direto para  COOMIGASP sem que se tenha segurança que esse valor será aplicado diretamente para o garimpeiro, então com certeza teremos que apresentar projetos, um formato de aplicabilidade desse valor para que a instituição venha enfim fazer a liberação do valor”, explicou.

Uma curiosidade obtida na entrevista, segundo o interventor a ação não fala em valor, ou seja, os 600 milhões de reais que se fala é uma estimativa podendo esse valor variar, mas a intervenção crer que seja algo muito próximo dessas cifras.

Uma preocupação que foi levantada pelo Reporter30 durante a entrevista, a COOMIGASP está preparada para distribuir esse valor, ou qualquer outro que venha entrar na entidade? A resposta foi curta e direta, “não, a cooperativa não está preparada para fazer nenhuma distribuição aos garimpeiros”, respondeu Marcos Alexandre.

A explicação do interventor é que o primeiro passo é avaliar o quadro social, um levantamento que está sendo feito pela intervenção para que, segundo ele, não sejam cometidas injustiças na distribuição de quaisquer que sejam os valores. A partir daí a intervenção prevê um recadastramento para atualizar as informações contidas no sistema da cooperativa e em seguida iniciar o processo de abertura de contas para os garimpeiros que será o mecanismo de recebimento dos recursos. A previsão da intervenção é que se tenha o real quadro social até o final de abril. ( por: John Jesse)

Veja outras matéria de John Jesse sobre Serra Pelada:

SERRA PELADA – As ações trabalhistas

 SERRA PELADA – A Montoeira

SERRA PELADA– A quebra do contrato com a Colossus

 

 

POR UNANIMIDADE TCU DECLARA: BIRA DO PINDARÉ É FICHA LIMPA!

O deputado Bira disse que está muito satisfeito com o julgamento e que se sente aliviado. "Nunca na minha vida eu me senti tão injustiçado, mas Deus é maior. Estou feliz", declarou com enorme entusiasmo.

Deputado estadual Bira do Pindaré  (PSB)
O Plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou por unanimidade o Recurso de Reconsideração apresentado pelo deputado estadual Bira do Pindaré (PSB), na manhã desta quarta-feira (26). A decisão final tomada pelo TCU julga regulares todas as contas do deputado Bira enquanto Delegado Regional do Trabalho (DRT/MA).

Desta forma, o TCU corrige uma decisão equivocada anterior, e o deputado Bira do Pindaré mantém resguardados todos os seus direitos políticos. O Ministro, José Múcio Monteiro, Relator do Processo TC-006.652/2004-0, e seus pares, entre outros pontos, consideraram o fato de que as possíveis irregularidades em procedimentos licitatórios de serviço de manutenção de viaturas da DRT/MA ocorreram antes da gestão de Bira.

Bira do Pindaré exerceu o cargo de Delegado Regional do Trabalho entre 2003 e 2006 e as possíveis irregularidades aconteceram ainda na gestão de seu antecessor. Os Ministros concluíram que o deputado Bira só foi incluído na questão em razão do extravio do processo relativo a contratação de serviços, quando suas contas perante a DRT/MA já haviam sido aprovadas.

Os Ministros do TCU também se basearam na total boa fé de Bira do Pindaré quando Delegado Regional do Trabalho, uma vez que atendeu todas as orientações formuladas à época pela Controladoria Geral da União. A decisão do TCU corrige o equivoco de ter se considerado como não prestados os serviços unicamente em razão de não terem sido localizados as notas fiscais junto ao órgão da Fazenda Estadual.

Trecho da decisão final do TCU: “... a ausência de registros das notas fiscais no órgão de Fazenda Estadual levou à presunção de que a comprovação das despesas era irregular e por isso deveria ser glosada Contudo, há duas inconsistências na caracterização desse débito. A primeira é a presunção de que os serviços não foram prestados. A segunda inconsistência na caracterização do débito diz respeito ao fato de um juízo de inidoneidade das notas fiscais haver decorrido de consulta ao órgão fazendário estadual”. 

De acordo com Davi Telles, advogado do deputado Bira no Processo, a decisão anterior que foi corrigida por unanimidade dos Ministros na sessão desta quarta pelo TCU, se baseava numa presunção extremamente frágil e equivocada, uma vez que considerava, absurdamente, como não realizados serviços que foram efetivamente prestados.

A consulta em relação às notas fiscais foram feitas junto ao órgão fazendário estadual quando deveria ter sido feita no órgão fazendário municipal, pois se tratava de contrato de prestação de serviço. Logo, a alegação de notas frias era absolutamente infundada. 

“Além disso, os possíveis vícios no processo licitatório são de momento anterior à gestão do deputado Bira, que, na verdade, ao assumir procurou sana-los, acatando todas as orientações da CGU. O Tribunal reconheceu tudo isso e fez justiça”, explicou Davi Telles.
         
O deputado Bira disse que está muito satisfeito com o julgamento e que se sente aliviado. "Nunca na minha vida eu me senti tão injustiçado, mas Deus é maior. Estou feliz", declarou com enorme entusiasmo. (Sáride Maíta-Assessoria)

VALÉRIA MACEDO APRESENTA PROJETO SOBRE LIMITES TERRITORIAIS DOS MUNICÍPIOS DE SENADOR LA ROCQUE, BURITIRANA E JOÃO LISBOA


Valéria Macedo

A deputada Valéria Macêdo (PDT), destacou na sessão desta terça-feira, 25, o Projeto de Decreto Legislativo n.º 002/2014, de sua autoria, que dispõe sobre a realização de consulta plebiscitária aos eleitores dos municípios de Senador La Roque, Buritirana e João Lisboa, visando o desmembramento e anexação de povoados.

De acordo com a deputada, o objetivo do projeto do plebiscito é consultar as populações diretamente interessadas, especialmente dos povoados Tabuleirão I, Centro dos Machados, Açaizal Grande, Cajá Branca, Olho D’água, Jenipapo, PA Novo Horizonte, Parsondas, Araparí, Centro do Zezinho, Centro do Toinho e Projetos de Assentamento Pingo de Ouro, Lagoa da Cigana, Alvorada I e Alvorada III, sobre o desmembramento e anexação aos municípios de Senador La Roque, Buritirana e João Lisboa.

Valéria Macedo explicou que em 2001 a Assembleia Legislativa, que era presidida pelo deputado Manoel Ribeiro, aprovou um Projeto de Lei de autoria do deputado Hélio Soares, que fez a anexação dos referidos povoados ao município de Senador La Rocque.

Segundo a deputada, com a anulação da Lei Estadual n.º 265/2001 pelo Tribunal de Justiça do Maranhão, os povoados referidos ficaram sem vínculo legal com nenhum dos três municípios. Antes da Lei 265/2001 eles constavam inclusos, parte na lei de criação do município de João Lisboa e outros na de Buritirana. Com a Lei 265/2001 passaram a pertencer a Senador La Rocque, mas para isso a Lei 265/2001 teve que revogar parte das leis de João Lisboa e Buritirana. 

Com a anulação da Lei n.º 265, de 2001todos os povoados envolvidos na questão estão desvinculados das leis dos três municípios, ou seja, não integram na lei de nenhum dos três município, embora do ponto de vista fático, administrativo e político continuam – como sempre estiveram nos últimos 19 anos – vinculados ao Município de Senador La Rocque.

“Assim, há um vácuo legislativo que precisa ser preenchido por uma lei, a qual em princípio tem que ser precedida de consulta plebiscitária, segundo decisão do Tribunal de Justiça do Maranhão e do texto expresso do art. 10 da Constituição do Estado e do § 4.º do art. 18 da Constituição Federal”, diz.

Para a deputada uma realidade, porém, se impõe: desde a criação do Município de Senador La Rocque, há mais de 19 anos atrás, estes povoados ficaram administrativa e politicamente incluídos a este município. Até 2001 de fato e, depois da Lei 265/2001, de direito. Com o decreto de inconstitucionalidade desta lei os povoados legalmente ficaram sem estar incluídos em nenhuma das leis dos três municípios. É que no direito brasileiro não há repristinação tácita de lei, nos termos do § 3.º do art. 2.º do Decreto-Lei n.º 4.657, de 4 de setembro de 1942, com as alterações da Lei n.º 12.376, de 2010.

“Em outras palavras, a perda da vigência da Lei “Hélio Soares”, lei estadual 265/2001, que revogou em parte as leis de criação de João Lisboa, Senador La Rocque e Buritirana, não restitui a vigência das leis de criação dos municípios de João Lisboa, Senador La Rocque e Buritirana”, explica a parlamentar pedetista vaticinando que dessa forma a situação desses povoados ficou pior do que antes da lei 265/2001, pois com a anulação desta lei hoje esses povoados não se encontram incluídos nas leis de nenhum dos três municípios Senador La Roque, Buritirana e nem de João Lisboa, precisamente porque não existe no direito pátrio a repristinação tácita. (Assessoria)

Nota do Blog: 

REVOLTA  EM SENADOR LA ROCQUE. DEPOIS DE ABANDONAR A POPULAÇÃO À PROPRIA SORTE PREFEITO CHICO NUNES CORRE ATRÁS DO PREJUÍZO


Nos últimos dias o clima é de tensão em Senador La Rocque por conta da reação dos moradores dos povoados citados que não aceitam a anexação aos municípios de João Lisboa e Buritirana. 

Por duas vezes a população interditou a MA-122, no povoado Jenipapo, divisa entre Senador La Rocque e Buritirana. 
 
As manifestações estão sendo organizadas pelo Movimento “Sou de Senador La Rocque, aqui é meu lugar”, que é contra a transferência, dos povoados Jenipapo, Olho D'Água, Novo Horizonte, Centro dos Machados, Tabuleirão, Açaizal Grande para o território de Buritirana. E os povoados Centro do Toinho, Centro do Zezinho, Pingo de Ouro e Lagoa da Cigana para a cidade de João Lisboa.
 
Pela expansão do município, no ultimo senso do IBGE o município perdeu entre 4 a 7 mil  pessoas de seu contingente populacional reduzindo o coeficiente de participação do município nas verbas federais e estaduais de 1.4 para 1.0 isso significa dizer que o município reduz sua receita em aproximadamente 30% em seus recursos.

“Esperamos por solução rápida desta situação tão incomoda para todos nós. O que a justiça esta fazendo não tem apoio da população. Não queremos de forma alguma deixar de pertencer a Senador La Rocque. O povo precisa ser ouvido por isso a rodovia vai ficar assim por tempo indeterminado”, diz a manifestante
Antonia Maria (37).

Francisco Nunes
Inicialmente tendo abandonado o povo à própria sorte no entendimento de que ao entregar esses povoados para Buritirana e João Lisboa estaria livre de gastos, pois teria o numero da população reduzida, o prefeito de Senador La Rocque, Francisco Nunes (PV) acabou vendo que o desgaste eleitoral seria incalculável e agora resolveu correr atrás do prejuízo, se dirigindo a São Luís para tentar reverter a decisão judicial. 
 
Felizmente apareceu essa solução proposta pela deputada Valéria Macedo que há dias já havia mandado emissários ouvir a população e lideranças desses povoados no intuito de buscar uma solução que atendesse a vontade da maioria.

Por sua vez os prefeitos dos municípios de João Lisboa Jairo Madeira e Buritirana Vagtônio Brandão, na perspectiva de terem um aumento do FPM e outras verbas carimbadas como Educação e saúde, sonham com a anexação desses povoados.
 
A bola agora está com as Assembleia Legislativa do Maranhão, que tem a obrigação de decidir o mais rápido possível sobre o Decreto Legislativo 002/2014, de autoria da deputada que dispõe sobre a realização de consulta plebiscitária aos eleitores dos municípios de Senador La Roque, Buritirana e João Lisboa, visando o desmembramento e anexação de povoados. 
 
Vamos aguardar o desenrolar dos fatos e que o desfecho seja favorável à vontade soberana da maioria.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

ROSEANA SARNEY EM ZÉ DOCA: VEJAM A FOTO!!!

A passagem da Governadora Roseana Sarney (PMDB) pelo Município de Zé Doca,hoje,terça-feira(25),em mais um governo Itinerante,onde inaugurou o hospital,foi marcada mais uma vez por protestos.
A população desiludida com tantas promessas,cansada dos blá,blá,blás... está temendo que seja mais um elefante branco,assim como outros,onde foram inaugurados,logo após,fechados.

Roseana esperava por um grande público,o que não aconteceu,e teve ainda que aguentar cobranças dos jovens que estavam munidos de cartazes e faixas em manifestação.A governadora deixou o local do evento abatida,com cara de poucos amigos,depois da receptividade nada agradável. (
Braw Bráz)

"DESEJAMOS E DEFENDEMOS UMA CAMPANHA LIMPA E HONESTA", DIZ FLÁVIO DINO

A entrevista concedida por Flávio Dino tocou também em assuntos importantes relacionados ao desenvolvimento do Maranhão.

O pré-candidato a governador pelo PCdoB, Flávio Dino, defendeu que as eleições de 2014 sejam limpas e honestas, com fim de agressões e ataques políticos sem fundamento. “Desejamos e defendemos uma campanha limpa e honesta, em que os maranhenses possam exercer plenamente seu direito ao voto”, afirmou o pré-candidato em entrevista realizada na noite de ontem (24) na Rádio Capital (São Luís).

Respondendo a perguntas feitas pelos jornalistas que conduziram a sabatina, Flávio Dino defendeu as eleições limpas, o fim das agressões e da manipulação de informações para prejudicar desafetos políticos. O pré-candidato do PCdoB afirmou que as práticas políticas da agressão e da intimidação são adotadas pelo grupo Sarney há décadas para se manter no poder no Maranhão.

“Esse sistema de agressão sacrifica a verdade em nome de interesses meramente eleitoreiros, mas o povo sabe distinguir o que é desespero dos adversários e o que é verdade,” disse Flávio Dino aos jornalistas Gilberto Lima, John Cutrim e Clodoaldo Correa.

Mesmo sob ataques constantes, Dino afirmou que não abrirá mão de posicionamentos políticos adotados desde o início de sua vida pública em nome de pressões e chantagem eleitoreira do grupo adversário. “É preciso ter fé e muita firmeza de princípios para lutar e superar esse modelo de atraso para o Maranhão,” disse.

Debate para melhorar o Maranhão

A entrevista concedida por Flávio Dino tocou também em assuntos importantes relacionados ao desenvolvimento do Maranhão. Flávio Dino defender o fim da peregrinação de maranhenses a hospitais de outros estados. Dino destacou a necessidade de formar médicos maranhenses para trabalharem no estado e atenderem as demandas locais.

Dino falou ainda sobre Segurança Pública, Desenvolvimento, Economia, Combate à Corrupção, Agricultura e outros assuntos. “O mais importante para o Maranhão é a melhoria de vida das pessoas. É preciso promover o avanço real na vida de cada maranhense,” finalizou. ( PCdoB São Luís)

LÁBIO LEPORINO: PACIENTES COM FISSURA LABIAL AGORA CONTAM COM CENTRO DE ATENDIMENTO EM IMPERATRIZ




O serviço é uma parceria entre a Faculdade de Imperatriz e a Secretaria Municipal de  Saúde.


 Centrinho, como o serviço  é chamado funciona por meio da parceria entre Faculdade de Imperatriz, Associação Brasileira de Odontologia, Secretaria Municipal de Saúde e a Smile Train (Associação Americana que dá suporte a serviços semelhantes em todo o mundo).

O projeto foi apresentado às autoridades, imprensa,   profissionais e alunos da área de  saúde ontem à noite nas dependências da Facimp. Essa unidade de  atendimento de  saúde  bucomaxilar  vai contar a partir de agora com sete salas de atendimento (psicologia, nutrição, serviço social, fonoaudiologia, cirurgia, odontologia e casos novos).

Leonilson Gaião
Os pacientes  serão submetidos à cirurgia no Hospital Municipal, o Socorrão. Essa semana está prevista a realização de pelo menos três cirurgias.  A  informação é do cirurgião bucomaxilar e  professor universitário  Leonilson Gaião,  um dos entusiastas da parceria da Facimp com a Prefeitura que vai possibilitar a melhoria desse serviço que em Imperatriz é realizado desde 2007.

 Os usuários serão atendidos por uma equipe multidisciplinar, formada por assistente social, nutricionista, cirurgião bucomaxilofacial,  cirurgião plástico, fonoaudióloga, psicóloga e ortodontistas e odontopediatras, junto com uma grande equipe de estagiários.

Para a Secretária de Saúde Conceição Madeira, essa é um tipo de parceria de alcance social extraordinário e que  proporciona satisfação a qualquer gestor já que trata-se de um serviço que muda para sempre a vida de  uma pessoa.
 
Secretária Conceição Madeira
Deformidade - O lábio leporino é uma abertura na região do lábio e/ou palato do recém-nascido, ocasionada pelo não fechamento dessas estruturas na fase embrionária, isto é, entre a 4ª e a 12ª semana de gestação.

As fissuras podem ser unilaterais ou bilaterais e variam desde formas mais leves como cicatriz labial ou úvula bífida ("campainha" dividida) até formas mais graves, como as fissuras completas de lábio e palato. As fissuras podem deixar o canal oral em contato com o nasal.

Em cada 650 nascimentos no Brasil, uma criança nasce com fissura labiopalatal. Uso de álcool ou cigarros, a realização de raios-x na região abdominal, a ingestão de medicamentos, como anticonvulsivantes ou corticoide, durante o primeiro trimestre gestacional, deficiência nutricional, além da hereditariedade são as principais causas.

Com a alteração da anatomia da face, há maior risco das crianças aspirarem o alimento provocando infecções como otites e pneumonias. As otites podem causar prejuízos no desenvolvimento da fala e linguagem. As anemias também são freqüentes nas fissuras labiopalatais normalmente solucionáveis com uma dieta balanceada e sulfato ferroso. [ASCOM]