segunda-feira, 28 de abril de 2014

SOCIEDADE ORGANIZADA DE IMPERATRIZ BUSCA SAIDAS PARA A PREVENÇÃO E O COMBATE À VIOLENCIA URBANA

Aconteceu na noite de quarta-feira, 23/04, no auditório da OAB de Imperatriz, uma audiência pública para tratar sobre o fenômeno da violência urbana que tem recrudescido em Imperatriz nos últimos anos. O encontro, puxado pelo Ministério Público reuniu autoridades da área da segurança pública, poder público municipal Justiça e  membros da sociedade civil organizada.

Com o objetivo de não apenas apontar os problemas e buscar culpados, os membros do encontro debateram propostas para implantação de medidas e políticas públicas visando diminuir os índices de violência na segunda maior cidade do Maranhão  que somente este ano já contabiliza mais de 50 homicídios.

A organização da audiência pública se comprometeu que em breve tempo estará divulgando um relatório  com a síntese do resultado do encontro.

Durante meus quase 30 anos de Imperatriz foram muitas as movimentações que participei nesse sentido, com destaque para o final dos anos 90 quando juntamente com José Cortez Moreira (falecido), o "Moreirinha", Conceição Amorim, Valdinar Barros, Simplício Zuza (falecido) e outros companheiros criamos o Fórum pela Vida Contra a Violência.

Foram tantas as reuniões, audiências públicas, passeatas, protestos pela paz, contra a violência e a impunidade que nem dá para contar. Quando a violência recrudesce ou morre uma pessoa de renome na cidade ai a a sociedade se levanta, reúne, protesta, cria entidades, mas depois aos poucos as coisas vão esfriando até nem se ouvir mais falar.

Tantas quantas forem as reuniões e iniciativas nesse sentido forem feitas, acho sempre válido e como membro ativo e cidadão consciente de Imperatriz estarei perfilado para a luta, mas penso que se faz urgente que busquemos de verdade ações concretas, claro, sem abandonar de todo o debate, a teoria e a denúncia.

Nesse  sentido quero parabenizar o Ministério Público do Maranhão (de Imperatriz) que pelo que constatei tratou do assunto encaminhado no sentido das propostas e ações concretas para senão acabar, mas diminuir sensivelmente a violência urbana. 

Vamos aguardar o relatório!

Nenhum comentário: