terça-feira, 20 de maio de 2014

DIÁLOGOS PELO MARANHÃO: FLÁVIO DINO OUVE A REGIÃO TOCANTINA PREPARANDO SEU PROGRAMA DE GOVERNO

Em mais uma passagem pela região tocantina, Flávio Dino - com sua proposta de dialogar com a população - é recebido com entusiasmo e demonstrações de apoio, saudado como o novo, diferente, um pré-candidato que resolve percorrer o seu estado para ouvir o povo e as lideranças, antes de montar seu programa de governo. Com certeza, será um programa factível, democrático e participativo, fruto de amplos debates.


Lideranças políticas, sindicais, comunitárias e pessoas do povo participaram na região tocantina desde a última quinta-feira até sábado, de vários encontros do movimento Diálogos pelo Maranhão, juntamente com o pré-candidato a governador Flávio Dino (PCdoB), o pré-candidato ao senado Roberto Rocha (PSB), a deputada estadual Valéria Macedo (PDT), o ex-prefeito de Porto Franco Deoclides Macedo (PDT) entre outras lideranças políticas da oposição, que realizou encontros nas cidades de Imperatriz, Campestre, Bom Jesus das Selvas e Amarante do Maranhão.

Na quinta-feira, em Imperatriz o encontro Diálogos com as Mulheres aconteceu organizado pela pré-candidata a deputada federal Rosângela Curado (PDT) com apoio da deputada Valéria Macedo (PDT) e outras lideranças políticas femininas. O auditório da Igreja Shalom ficou lotado pelas mulheres que fizeram perguntas e  propostas para o programa de governo da oposição.



Rosângela Curado, avaliou como positivo o evento e elogiou a participação das mulheres neste momento de participação da construção de um novo momento para Maranhão, com um projeto de mudança e transformação. "  Elas vieram porque acreditam que é a hora da mudança. Momento que a mulher tem que participar de forma ativa e junto com os homens, queremos participar de forma efetiva e ver a melhora dos indicadores da saúde, de educação e a melhoria da qualidade de vida do nosso povo”,disse Rosângela.

A deputada estadual Valéria Macedo (PDT) listou algumas prioridades da Região Tocantina como contribuição para o Programa de Governo de Flávio Dino. Ela destacou demandas relacionadas à segurança, com a implantação de delegacias da mulher – proposta também sugerida pela secretária da Mulher do Município, Conceição Formiga; na saúde a deputada Valéria pediu concurso público, implantação de um hospital para tratamento de câncer e a estruturação dos equipamentos públicos com pessoas capacitadas para o atendimento às mulheres.

“Geralmente, as decisões sobre políticas publicas são discutidas em gabinete. E com o Diálogos, é ouvindo a população para desenvolver um governo justo e sério. Ouvimos o Flávio Dino colocando o seu compromisso com as mulheres de todo o estado do Maranhão. Temos muita esperança que ele cumpra essas propostas”, concluiu a deputada

Durante a reunião, elas escreveram em corações, de forma simbólica, os sonhos pelo Maranhão apresentados a Flávio Dino e Roberto Rocha (pré-candidatos a governador e senador, respectivamente) propostas de ações voltadas especificamente para as mulheres. 

Acompanhando as atividades do Diálogos, Roberto Rocha destacou a importância de Imperatriz para o estado. “Assim como no seminário da Juventude, o Diálogos com as Mulheres reconhece o papel feminino para nosso estado, para discutir problemas sociais. Ouvir para construir cada vez melhor o nosso Programa de Governo”, disse, explicando a dinâmica do Diálogos pelo Maranhão, movimento que já percorreu mais de 100 cidades de todas as regiões e ouviu mais de 30 mil pessoas.

“No nosso Programa de Governo, apresentamos ações voltadas para as mulheres para assegurar atendimento na área da saúde. Aqui em Imperatriz recebemos mais contribuições, como com a implantação de delegacias especializadas, reforço da atenção básica de saúde, entre outras. Esse conjunto de ideias e participações foi trazido por mulheres da região tocantina e estamos levando adiante essa ideia de dias melhores para todas elas”, assegurou Flávio Dino.

Também prestigiaram o evento os deputados estaduais Carlinhos Amorim  (PDT), Marcelo Tavares (PSB), Raimundo Cutrim (PCdoB), o vice-prefeito de Imperatriz, Pastor Porto (PPS), o deputado federal, Domingos Dutra (SDD), o ex-prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo (PDT), representantes do Fórum das Mulheres, da Pastoral da Juventude e Sindicato dos Trabalhadores na Saúde


Na sexta-feira, em Campestre, Dino defendeu o apoio à produção e políticas sociais como formas de desenvolver o município. Com economia voltada para a agricultura e a pecuária da região, ele disse que a omissão do Governo do Estado impede o crescimento maior das duas atividades.


"Vamos reestruturar o sistema de assistência técnica para que haja acesso à tecnologia e apoio à comercialização. E nas políticas sociais, reforço meu compromisso com as mulheres que têm filhos em idade escolar, crianças e adolescentes, que terão um 13° beneficio para as crianças aprenderem mais. Vamos investir em políticas sociais e na educação , com caminhos para superação desse quadro de injustiças no Maranhão", disse Flávio Dino.

Maior  liderança da oposição na região tocantina, o ex-prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo (PDT) afirmou que esse momento representa a renovação política do estado, ou  seja, um momento de oportunidades para todos. " A região tocantina é uma região desenvolvida, mas que precisa do apoio do Governo do Estado para áreas essenciais, entre eles na área da educação, como forma de impulsionar ainda mais a geração de emprego e o progresso da nossa região", defendeu.

Maria de Jesus Marinho (PSL), vice-prefeita de Campestre, disse ter tomado a decisão de apoiar o pré-candidato Flávio Dino por acreditar que o Maranhão terá um destino melhor. "Queremos uma mudança e Tenho certeza que ele fará a diferença, Flávio Dino fará essa mudança", disse Maria de Jesus.

A deputada Valéria Macedo lembrou a questão da segurança pública e disse que aposta num novo governo liderado por Flávio Dino para trazer a paz e a tranquilidade ao povo do Maranhão. 

Agricultor de Campestre, José Carlos Oliveira, falou das dificuldades do campo e da falta de incentivo do executivo estadual com a produção maranhense. A cidade, segundo ele, é muito dependente de uma indústria instalada na região e do corte de cana.

Na época da entressafra, muitos deixam a cidade em busca de emprego em outros estados do país. "Eu já passei três meses em São Paulo trabalhando. Aqui é assim, quando a indústria tá funcionando normal a cidade se movimenta, quando acaba a safra, a população vai para fora buscar trabalho", explicou.

A reclamação sobre a falta de incentivo à produção foi reforçada por João Gomes da Silva, agricultor de Campestre. Com roça de arroz e mandioca, ele disse trabalhar ainda com enxada e facão. "Não temos incentivo, se tivesse poderia aumentar minha roça. Hoje para usar um trator tenho que alugar", reclamou.

Também participaram do Diálogos em Campestre, Rosâgela Curado, os deputados Raimundo Cutrim, e Domingos Dutra, entre outras lideranças estaduais.

No Sábado pela manhã, em Bom Jesus das Selvas, o encontro discutiu o programa que levará água para a casa de todos os maranhenses. Lideranças políticas e religiosas, professores, trabalhadores rurais e população destacaram a falta de abastecimento como prioridade do município.

O professor Willams Silva destacou também a necessidade de reforma na infraestrutura da escola de ensino médio, onde leciona. Segundo ele, a estrutura é muito antiga e não há reforma por falta de recurso.

Flávio Dino recebeu um documento das mãos da ex-prefeita da cidade, Maria Lira, da direção do PT de Bom Jesus das Selvas. O protocolo de intenções sugere que a água,  "o bem que gera vida", seja tratado como prioridade. "É uma luta histórica do povo Bonjesuense em prol da água potável. Os serviços implantados pela Caema não atendem a necessidade da população. Pedimos o desenvolvimento da melhoria da qualidade de vida da população da cidade e do campo em relação ao abastecimento de água potável", relatou.

Dida do PT, representante do Movimento Sem Terra, chamou a atenção para o assentamento de 2.600 famílias que vivem no município sem água e energia. "Temos muitas dificuldades no nosso município. Crianças sem transporte escolar, que atravessam a BR pra ir à escola, que andam três a quatro quilômetros para chegar à escola. Nosso povo sofre com o abandono", reclamou. 

 "A sonegação de um direito fundamental como esse tira a qualidade de vida das famílias”, afirmou o pré-candidato a governador. “Também há um grande problema de erosão que ameaça inclusive engolir a cidade e que vem avançando ao logo dos anos, sem nenhuma intervenção. Por isso, nós incorporamos ao nosso Programa de Governo, além da construção do hospital, que está há muitos anos inconcluso”.

O Vice-prefeito de Bom Jesus das Selvas, Abdala Filho (PTB), os vereadores Renatinho (PTB), Manoel Firmino (PR), Claudio Joel (PRB), Dr. Abdala (PTB) e Irineu (PP), também participaram do movimento Diálogos pelo Maranhão. Eles reforçaram o pedido por abastecimento de água e pediram por políticas públicas de saúde e educação.

Em Amarante, na noite de Sábado, o Diálogos pelo Maranhão reuniu mais de mil pessoas, tendo entre os organizadores, o líder político, ex-prefeito Marconi Dualibe ( ) que acaba de aportar na oposição e declarar seu apoio ao pré-candidato Flávio Dino. Nos discursos de lideranças políticas e na  participação da população, o desejo de mudança para o estado, com desenvolvimento e justiça social. 


Vicente Pereira, de 60 anos, morador de Amarante, pediu por estrada e saúde. "Aqui não tem estrada. Quando precisamos de saúde vamos à Imperatriz para se tratar. Só tem uma escola de ensino médio e sem infraestrutura para os alunos. Temos muita confiança no Flávio Dino, que ele vai trabalhar para mudar o Maranhão", acredita. Sobre educação, a professora Socorro Félix falou do atraso das aulas e falta de oportunidade para os jovens. "Quem não tem como pagar uma faculdade volta para a roça porque não tem como continuar os estudos", disse.

Vereadores do município também declararam a necessidade da mudança política no Maranhão, entre eles, Cleiva, Azevedo, Cristina, Sena e Magno Benedito. Nas falas, a confiança nas propostas apresentadas por Flávio Dino, o pedido pela intermediação com a questão indígena, infraestrutura e saúde.


"Há possibilidade de ampliação dessas terras indígenas, onde ficaríamos reduzidos a cerca de 20% do nosso território. Nossa Amarante é muito produtiva, quem habita nessa região são pequenos produtores, que tiram a renda da terra. O que precisamos não é dar mais terra para nossos irmãos índios, mas dar melhores condições de vida, políticas sérias voltadas para elas. Queremos uma política séria", disse o ex-prefeito Marconi.

João Batista, vereador pelo PSD, criticou a falta de escolas para atender a demanda da população e a necessidade de estradas interligando Amarante a cidades vizinhas. Com 40 mil pessoas, o município conta com apenas uma unidade de ensino médio. "É um clamor da juventude a infraestrutura e qualidade do ensino. Além disso, temos o anseio de duas estradas, uma ligando a Sítio Novo, 42km, e outra a Bom Jesus das Selvas, que ajudariam o escoamento da produção, pecuária e agricultura", contou, destacando que a produção de gado bovino em Amarante é a segunda maior do estado.

A deputada Valéria Macedo e o ex-prefeito Deoclides,  deputado Weverton Rocha, todos do PDT, também reforçaram essas reivindicações e propuseram uma mesa de diálogo com o Ministério Público Federal (MPF), o Ministério da Justiça, Prefeitura, Câmera de Vereadores e Governo do Estado para mediar a questão de limites territoriais entre brancos e índios.

Em seu discurso  Flávio Dino disse que  o Governo do Estado tem que estar presente, sobretudo, para dialogar e mediar conflitos de regularização de terras. "Queremos que o estado se desenvolva em paz. Essa questão fundiária é de grande importância. Precisamos regularizar todas as terras, garantir apoio aos assentamentos, à produção, respeitar o direito dos índios, quilombolas, mas também o direito daqueles que aqui vivem e produzem. O Maranhão é muito grande e com generosidade e bom governo é possível compatibilizar todos os interesses em um projeto de desenvolvimento e justiça social, que é o que nosso governo propõe", afirmou.

Em mais uma passagem pela região tocantina, Flávio Dino - com sua proposta de dialogar com a população -, foi recebido com entusiasmo e várias demonstrações de apoio, saudado como o novo, diferente, um pré-candidato que resolve percorrer o seu estado para ouvir o povo e as lideranças, antes de montar seu programa de governo, com certeza que será um programa factível, democrático e participativo, fruto de amplos debates. 

Nenhum comentário: