sábado, 13 de novembro de 2010

Pronasci começa a ser implantado em Imperatriz

  150 adolescentes em conflito com a lei serão capacitados
 
A Prefeitura Municipal e o Ministério da Justiça celebraram convênio para implantar o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) em Imperatriz. A informação é do coordenador de projetos da Secretaria Municipal de Governo (Segov), Thiago Sousa e Silva. 
 
O prefeito Sebastião Madeira assinou ainda no ano passado em Brasília a adesão do município ao Pronasci, Programa que tem o objetivo de reduzir o percentual que aponta a cidade na 63° colocação no país em vulnerabilidade infanto-juvenil. 
 
Thiago Sousa revelou que o primeiro projeto, ainda em fase de análise no Ministério da Justiça, previsto para ser implantado em Imperatriz é o “Projeta”. A meta é resgatar a cidadania de jovens que passaram pelo sistema prisional ou cumpriram medidas sócioeducativas.

Em Imperatriz, a Prefeitura de Imperatriz e o Ministério da Justiça pretendem capacitar 150 adolescentes que tenham se confrontado com a lei, resgatando-os oferecendo cursos de capacitação profissional e inserção no mercado de trabalho. “O resgate da cidadania é o foco desse projeto social considerado de suma importância para a reinserção desses jovens no mercado de trabalho”, acrescenta.

Segundo Thiago, nos proximos dias o Ministério da Justiça implantará em Imperatriz um gabinete de gestão integrada municipal, sendo que representantes dos poderes do estado, município e federal  receberão treinamento com o propósito de implantar políticas públicas de segurança em Imperatriz. “O Pronasci dispõem de 64 ações, cujo gabinete de gestão vai trabalhar para disseminar essas ações em todo município”, frisa.
 
Pronasci – O projeto articula ainda políticas de segurança com ações sociais; prioriza a prevenção e busca atingir as causas que levam à violência, sem abrir mão das estratégias de ordenamento social e segurança pública.

Pronasci trabalho como público-alvo jovens de 15 a 24 anos à beira da criminalidade, que se encontram ou já estiveram em conflito com a lei; presos ou egressos do sistema prisional; e ainda os reservistas, passíveis de serem atraídos pelo crime organizado em função do aprendizado em manejo de armas adquirido durante o serviço militar.

A execução do Pronasci se dará por meio de mobilizações policiais e comunitárias. A articulação entre os representantes da sociedade civil e as diferentes forças de segurança – polícias civil e militar, corpo de bombeiros, guarda municipal, secretaria de segurança pública – será realizada pelo Gabinete de Gestão Integrada Municipais (GGIM). O Pronasci será coordenado por uma secretaria-executiva em nível federal e regionalmente dirigido por uma equipe que atuará junto aos GGIM e tratará da implementação das ações nos municípios. (Fonte: Ascom)

Um comentário:

gersonilda suene sousa marques disse...

Ja esta instalada ou só no papel? Gostaria de obter informações a esse respeito, caso tenha mais detalhe me informe por favor. Obrigada.