quinta-feira, 7 de julho de 2011

Repórter simula o próprio estupro para superar trauma após cobertura

Mac McClelland
A repórter norte-americana Mac McClelland causou polêmica após admitir que simulou o próprio estupro. Ela disse ter agido assim para se livrar de um trauma depois de entrevistar uma mulher que foi violentada no Haiti. Após ouvir o relato da mulher e ficar em estado de choque, a jornalista pediu que seu ex-namorado simulasse seu estupro.

"Eu não estava louca. Foi uma maneira de lidar criando uma situação simulada, porém controlada. Eu poderia dizer 'pare' a qualquer momento. Mas mesmo assim foi terrível, e o corpo entende quando passa por uma luta", disse ela ao site ABCNews.com, em matéria publicada nesta terça-feira (5/07).

Em setembro do ano passado, a repórter acompanhou o testemunho de uma hatiana violentada por cinco homens. Enquanto estava com a jornalista, a mulher avistou um de seus estupradores na rua e teve um ataque de pânico. Segundo Mac McClelland, foi a cena que lhe causou o trauma.

“Eu estava ciente mesmo quando foi doloroso, mesmo quando ele colocou um travesseiro sobre minha cara, não para me asfixiar, mas para que não quebrasse meu queixo enquanto ele me dava murros na cara. Duas, três, quatro vezes. Meu corpo ficou devastado, mas aliviado. Eu havia perdido, mas sobrevivi", relembra a jornalista sobre o estupro simulado.

Com o “tratamento” pouco recomendado, Mac McClelland disse que conseguiu superar o estresse pós-traumático, que lhe causava choros sem motivos aparentes e medo de tratar do tema violência sexual em outras reportagens.

"Em alguns meses, eu me sentiria pronta para voltar ao Haiti. (...) Eu faria uma matéria no Congo, onde todas as entrevistas teriam a ver com violência sexual ou assassinato, mas já seria possível trabalhar normalmente", escreveu Mac McClelland. As informações são do G1.

Nenhum comentário: