segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Maranhão receberá investimentos de US$ 3,1 bilhões no setor mineral

Ribamar Cunha
Subeditor de Economia de O Estado do Maranhão

Maranhão receberá investimentos de US$ 3,1 bilhões no setor mineralEntre 2011 e 2015, o estado do Maranhão receberá investimentos de US$ 3,1 bilhões na exploração de ouro e em logística voltada para o segmento mineral, segundo dados do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram). O valor representa o quinto maior investimento no setor e corresponde a cerca de 4,5% do total de US$ 68,5 bilhões previstos para serem investidos na atividade nesse período no Brasil.

Em termos de valor de investimentos na atividade de exploração mineral e logística, no período de 2011 a 2015, o Maranhão é superado apenas pelos estados do Pará, Minas Gerais, Espírito Santo e Bahia. No entanto, supera os investimentos previstos para o Rio de Janeiro (US$ 2,2 bilhões).

Do investimento total identificado pelo Ibram para o Maranhão até 2015, grande parte dos recursos será aplicado pela Vale na área de logística, com ênfase na ampliação do terminal portuário de Ponta da Madeira e na duplicação da Estrada de Ferro de Carajás. O investimento, que chega a US$ 2,9 bilhões, elevará a capacidade de movimentação das atuais 130 milhões para 230 milhões de toneladas de cargas de toneladas de cargas.

Considerado o maior projeto de logística da América Latina, a ampliação do terminal de Ponta da Madeira, com a construção do Píer IV, foi iniciada em 2010 com previsão de ser concluída em 2013. Com dois berços, a estrutura garantirá a atracação 53 navios por mês com até 400 mil toneladas de porte bruto (TPB). O novo píer terá ponte de acesso, dois carregadores de navio, berço para rebocadores, subestações elétricas, entre outras estruturas.

O terminal de Ponta da Madeira, incluindo as operações realizadas no berço 105, operado pela Vale no Porto do Itaqui, movimenta, além de minério de ferro, pelotas, manganês, ferro-gusa e concentrado de cobre, produtos que integram o portfólio mineral da Companhia no Maranhão.
De acordo com dados da Vale, no segundo trimestre deste ano, o terminal de Ponta da Madeira movimentou 24,785 milhões de toneladas de cargas, sendo 23,215 milhões de toneladas equivalentes somente ao transporte de minério de ferro produzido na Serra de Carajás, no estado do Pará.
Os investimentos da Vale em logística para atender a atividade mineral também contemplam a Estrada de Ferro Carajás (EFC), que está sendo duplicada. No segundo trimestre deste ano, a ferrovia transportou 26,798 milhões de toneladas de cargas, dos quais 25, 403 milhões de toneladas corresponderam a minério de ferro.

Potencial - Segundo o secretário de Estado de Minas e Energia, Ricardo Guterres, o Maranhão apresenta potencial viável de crescimento no setor mineral, a exemplo dos investimentos da Vale, em logística, e da Aurizona e Jaguar Mining na exploração de ouro na região do Gurupi, empreendimentos que estão gerando empregos e abrindo oportunidades de novos negócios para empresários maranhenses.
Ricardo Guterres informou que o Governo do Estado fará, com o apoio do Ministério de Minas e Energia, um "Diagnóstico das Cadeias Produtivas de Base Mineral do Maranhão", com o apoio do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, cujo processo licitatório para concretizar o trabalho já foi aberto. Será uma pesquisa minuciosa, por meio da qual serão colhidas informações precisas sobre o meio físico superficial e de subsolo, o que garantirá bases científicas para o conhecimento de fontes geológicas e hidrogeológicas.

O diagnóstico envolverá levantamentos sobre atividades de núcleos comunitários, além de pequenas e médias empresas que já trabalham na exploração de minérios em várias regiões do Maranhão. "Com o diagnóstico, vamos regularizar o setor, o que abre a oportunidade de abertura de financiamento para eles. Também será um mapa a ser apresentado para quem queira fazer novos grandes investimentos no estado", observou o secretário.

Nenhum comentário: