quinta-feira, 1 de março de 2012

COMPRA PREMIADA: NÃO CAIA NESSA!

Compra premiada não passa de golpe, alerta promotor

Para Sandro Bíscaro, as empresas de compra premiada trabalham com um “consórcio disfarçado”
Do Correio Popular de Imperatriz

Promotor Público Sandro Bíscaro
Apróxima empresa de compra premiada a dar um “calote” em consumidores de Imperatriz e região pode ser a Eletro Certo. Como registrado na edição de ontem do Correio Popular, por volta das 10h desta terça-feira (28) o gerente da loja, apresentado apenas como Lucas, foi solicitado a fechar as portas do estabelecimento e comparecer às dependências da 1ª Delegacia de Polícia Civil para dar esclarecimento ao delegado Fairlano Aires de Azevedo. O pedido de esclarecimento foi solicitado após o recebimento de várias denúncias de que a Eletro Certo não estaria cumprindo os termos do acordo celebrado com os clientes. Os mesmos não estariam recebendo seus produtos nem quando terminaram de quitar as parcelas do plano, muito menos quando eram “contemplados” por sorteio. A contemplação, através de sorteios periódicos, dava ao cliente o direito de receber o objeto, quitado e sem a necessidade de continuar a pagar por ele.

Para o promotor de Justiça do Consumidor de Imperatriz, Sandro Pofahl Bíscaro, as empresas de compra premiada como a Eletro Certo e a Comprêmio, que fechou as portas ano passado, são empresas que trabalham com um “consórcio disfarçado”. Sandro explica que a principal diferença entre as nomenclaturas consórcio e compra premiada é a possibilidade de o usuário receber o bem, no segundo caso, sem ter pago o valor integral dele.

“Mesmo que a pessoa não seja sorteada na primeira parcela, ela vai continuar pagando. Então, nesse sistema de compra premiada, na pior das hipóteses você paga o que se paga num consórcio normal, se for sorteada na última parcela, o que é muito difícil de acontecer. Como a demanda aumenta e mais pessoas procuram a chance de ter um bem pela metade do preço, esse negócio não se sustenta, é matemática pura. Isso é um golpe”, explicou o promotor.

Outro diferencial entre as duas nomenclaturas é a permissão do Banco Central do Brasil (BCB) para o exercício da operação financeira. Concedendo a permissão para a operação de consórcio, o BCB determina que os bens do proprietário sejam lastreados, ou seja, a pessoa oferece alguns bens de sua propriedade como garantia contra falência e ressarcimento total ou parcial dos usuários. Já os donos de empresas que trabalham com compra premiada nem têm os bens lastreados e nem possuem autorização do BCB para operar o negócio.

Sandro Bíscaro alerta que ações judiciais contra donos de empresas desse tipo geram poucos resultados, mas que o Ministério Público tem agido com rigidez. “Nós vamos agir, mas sabendo que na prática os resultados são pequenos, quando existem. Como o cara já entra para dar o golpe, o patrimônio dele está sempre em nome de terceiros, não tem nada no nome dele”, disse.

Ele desaconselha veementemente a opção por esse tipo de consórcio disfarçado. “Quando a esmola é muita o cego desconfia, esse é um ditado antigo que se aplica nesse caso. Então, o consumidor não pode entrar nesse tipo de coisa”. Na manhã de ontem, quando a reportagem esteve na sede da Promotoria do Consumidor, a recepcionista disse que foi procurada por várias pessoas pedindo esclarecimentos sobre como agir caso a Eletro Certo feche as portas.

COMPRÊMIO

Enquanto isso tramita na Justiça o processo que pede o congelamento dos bens do dono da empresa de compra premiada de Imperatriz, Comprêmio. A promotoria do consumidor pediu o congelamento antecipado dos bens, mas o juiz responsável pelo caso determinou que todos os clientes lesados fossem ouvidos primeiro. Até o momento o processo continua parado e os clientes sem resposta. “Entramos com uma ação em setembro passado, mas até hoje o judiciário não respondeu”, informou o promotor Sandro Bíscaro. ( Por Ronie Petterson)

Um comentário:

Anônimo disse...

Não concordo que a compra premiada é um golpe, existem muito mais empresas de consórcios que quebraram do que em compra premiada, agora que em todos os segmentos exite o seu lado podre isso é verdade!
Quantas pessoas pobres conseguem ter seu bem pelas facilidades da compra premiada? Vamos estudar um pouquinho mais até pra perceber que não é o banco central o responsável pela compra premiada, pesquisem, se não conseguirem resposta perguntem que eu digo qual o orgão responsável pela regulamentação da compra premiada!