segunda-feira, 20 de maio de 2013

SANGUE, MORTE, CHORO, VELAS... É A VIOLÊNCIA QUE RECRUDESCE NO MARANHÃO

O fenômeno da violência recrudesce no Maranhão. Apenas nas duas maiores cidades - São Luís e Imperatriz -  a polícia dá conta de pelo menos 10 mortes só na semana passada. Claro, sem contar os crimes ocorridos no resto do estado, que ainda não foram e talvez nunca venham  para as estatísticas.

Em Imperatriz, de janeiro até agora aconteceram quarenta assassinatos. 

A semana que passou ou especificamente o final dela foi brabo, um verdeiro banho de sangue. 

Foram dois assassinatos ocorridos na última sexta-feira, três no domingo, sete na semana, treze  neste mês  de maio. Isso até hoje, segunda-feira,20, as 21:11hs quando estou editando esse post.

O primeiro deles foi registrado na sexta-feira, na Rua Niterói. A vítima, conhecida por João da Pancadinha, foi morta por facadas e chuçadas. Também na sexta-feira, por volta das 18h, outro crime foi registrado no município, dessa vez na Rua Dom Marcelino, Vila Luizão. A vítima, Rogério Silva Santos, de 33 anos, estava em casa, quando foi abordada por dois homens ainda não identificados, que chegaram em uma moto. A vítima foi atingida por dois disparos e morreu.
Ainda na sexta-feira, por volta das 23h40, uma vítima ainda não  identificada pela polícia, foi morta com dois tiros na Rua Tupinambá, nas proximidades do setor da antiga rodoviária de Imperatriz.
Na madrugada de  domingo (19/5) aconteceu um tiroteio na beira-Rio com o saldo de uma morte  e uma tentativa de homicídio. Jacilene Cardoso do Nascimento, 31 anos, foi atingida por bala perdida   e morreu na hora, um homem que estava próximo a vitima, também foi atingido e se encontra em estado grave no Socorrão de Imperatriz.

EM SÃO LUÍS - A Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP) informou que, de sexta-feira (17) até ontem, foram registrados na Região Metropolitana de São Luís sete homicídios nos quatro municípios da Grande Ilha. 
Ainda segundo dados da SSP, dos sete crimes, seis foram por arma de fogo e um por arma branca. Dos sete corpos encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML), dois permaneciam, até ontem  sem identificação.
Três homicídios aconteceram na sexta-feira no município de Raposa. A primeira vítima, Juvenal dos Santos Diniz Filho, de 20 anos, foi atingida por dois disparos de arma de fogo. Ele foi assassinado dentro de casa. As outras duas pessoas, que seriam moradoras do bairro Cidade Olímpica, estavam em um bar, em Raposa, quando foram surpreendidas por homens ainda não identificados pela polícia. Eles chegaram em uma moto e dispararam contra as vítimas com armas calibre 38 e ponto 40. Segundo a polícia, é possível que o crime tenha sido motivado por dívidas de tráfico de drogas.
No sábado, a SSP registrou um homicídio, também na Região Metropolitana, por volta das 4h. Antônio Francisco Ferro Neto, de 21 anos, morador do Monte Castelo, foi vítima de arma de fogo.
O executor não foi identificado. Também no sábado, por volta das 14h, um homicídio foi registrado na Ilhinha. Rogean dos Santos Rodrigues, de 24 anos, foi vítima de arma de fogo.
Também no sábado, por volta das 16h, foi morto por arma branca Daniel Ribeiro Frazão, de 43 anos, morador do Iguaíba, Paço do Lumiar. Por fim, às 23h de sábado, a vítima foi Carlos Henrique Pestana de Souza, de 20 anos, morador da Vila Flamengo, São José de Ribamar.
Segundo a polícia, que se encontra totalmente sem rumo, a maioria desses crimes são motivados pelo tráfico de drogas, mas pouco se apura, pouco se tem notícia de consumação de uma investigação ou processo.

Para onde vamos? 

Não sei... O que fazer? Também não sei. 

Com a palavra a governadora Roseana Sarney e o secretário Aluízio Mendes.

Mas não podemos ficar esperando por eles. E se eles não derem um jeito de conter  essa sangria? 

Enquanto eles não nos socorrem  uma coisa podemos fazer: nos apegar com Deus e que ele tenha compaixão de nós e nos livre de todo o mal...

Um comentário:

Anônimo disse...

Enquanto isso, em Estreito:

VIATURA DOADA PELO CONSÓRCIO CESTE (ESTREITO) É UTILIZADA FORA DO MUNICÍPIO DE ESTREITO

Até onde sei, esse veículo somente pode ser utilizado pela Delegacia do Município de Estreito mediante um acordo ou convênio que foi feito na época, tanto que o mesmo apesar de ser disponibilizado como viatura, consta ainda como patrimônio do Consórcio Estreito Energia - CESTE conforme prova a tela de consulta do RENAVAM e a matéria jornalística da época, ambas em anexo.

Como a Regional de Imperatriz funciona como se fosse uma SPCI independente, sem vinculação com a real Superintendência de Polícia Civil do interior, fazendo o que quer e do jeito que quer, nada mais me surpreende, e os acontecimentos passam a ser corriqueiros, restando-nos uma pergunta: por que então não transfere logo e de vez a SPCI para a 10ª DRI?

Divulgo os fatos e resignado sei, que nada mudará! Talvez, até piore... mas me insurjo contra essas práticas que avançam em nossa instituição que só piora a olhos vistos.

Ah! Ia esquecendo, farei uma denúncia ao Consórcio de Estreito, é possível que por lá, quem sabe, providências tardias serão tomadas.

Amon Jessen
Presidente do SINPOL em 29-05-2013

www.sinpol-ma.com.br