quinta-feira, 1 de agosto de 2013

CONSELHEIRO TUTELAR DENUNCIA QUE FOI AGREDIDO POR IRMÃO DO PREFEITO DE SÃO JOÃO DO PARAÍSO

Dário Castro, quer indenização por "danos morais"
O Conselheiro Tutelar de São João do Paraíso-MA, Dário Castro de Abreu, em contato com este jornalista através do facebook, denunciou ao blog que foi agredido hoje pelo Controlador do Município Otiniel Ribeiro, irmão do prefeito de São João do Paraíso, José Aldo Ribeiro (PRB).


Segundo Dário, que já registrou queixa na delegacia de Porto Franco - que responde jurisdicionalmente  também por São João do Paraíso -, tudo aconteceu  por volta das 11:30 da manhã desta quinta-feira (01/08),  quando este foi até a sede da Controladoria do Município localizada na rua 13 de maio, para tratar sobre alteração em um pedido de  suas férias. 

O Controlador Otiniel teria dito que a Folha já estava fechada, sem querer sequer ouvir Dário mesmo este tendo uma autorização da secretária de Ação Social, a 1ª dama Efigênia Ribeiro. Depois de insistir no assunto, Dário teria dito que estava sendo tratado daquela forma por não ter votado no prefeito Zé Aldo. Bastante irritado, Otiniel se levantou e aos gritos de "sai daqui vagabundo" empurrou o Conselheiro "porta a fora", até à rua.  Dario voltou e foi empurrado novamente com rispidez.

"Ele destratou um Conselheiro Tutelar no exercício de sua função, de dentro do setor da controladoria publica me empurrando para fora, se isto não for abuso de poder é o que?", indaga revoltado Dário Castro, informando que vai processar Otiniel Ribeiro por abuso de autoridade e pedir uma indenização moral.

"Ficou bem claro a humildade desses políticos que batem nas portas do povo na época de eleição e quando ganham  tratam as pessoas  como objeto", concluiu.

Tentamos falar com o Controlador Otiniel, mas não obtivemos sucesso, no que mesmo assim o blog está á sua disposição para o contraponto.


A ser comprovada a atitude desequilibrada do Controlador Otiniel Ribeiro, é passiva de uma reparação moral caso a suposta vítima realmente  resolva buscar o amparo da Justiça. Pois além de seu destempero se  caracterizar em claro abuso de autoridade, trata-se ainda da exposição de um Conselheiro Tutelar  à situações humilhantes e constrangedoras.

Essa exposição à tirania é mais comum  em relações hierárquicas autoritárias, nas quais predominam condutas negativas, atos desumanos exercidos por um ou mais chefes contra os subordinados, ocasionando a desestabilização da vítima, não no serviço público onde o detentor de um cargo desses é um empregado do povo, devendo portanto ter urbanidade, tratar a todos com respeito, sabendo que seu cargo é transitório, dependendo da decisão do voto daqueles que confiaram ao gestor municipal a administração da coisa pública e este por sua vez, mesmo talvez incorrendo em crime de nepotismo o nomeou para aquela função.

Vamos aguardar pra ver no que vai dar...

Nenhum comentário: