quarta-feira, 4 de março de 2015

O TAMANHO E O DOCUMENTO

Do Estadão, DANIEL MARTINS DE BARROS

Descoberto o tamanho médio do pênis humano. Calma, antes de saber se tem o tamanho certo, é importante saber qual sua finalidade correta.
Link permanente da imagem incorporada

Foi descoberto o tamanho médio do pênis humano. Antes que você pare de ler, por achar o tema trivial ou chulo demais, é bom saber que a questão não alimenta apenas grande parte do repertório de piadas mundias, mas também boa parte das angústias masculinas. Claro, porque na maioria das vezes o humor é só uma maneira de lidar com nossos conflitos.
Na esquete “É pau é pedra”, do Porta dos Fundos, por exemplo um sujeito diz para um colega que a coisa que ele mais desejaria eram dois centímetro de pênis a mais. “Quem não queria, né?” responde o outro, mas na sequência emenda: “Você preferiria esses dois centímetros ou cem mil reais?” “Dois centímetros”. “Dois centímetros ou uma cobertura no Leblon?” “Dois centímetros”. “Dois centímetros ou a cura do câncer”. Aí o primeiro engasga, hesita. “Puxa, assim também…” mas depois de uma pausa conclui “Se bem que célula tronco está vindo com tudo por aí, né?”
Mas vamos lá. Juntando vários estudos já realizados no mundo, selecionado aqueles com metodologia criteriosa e comparável, o psiquiatria David Veale coligiu com sua equipe dados de 15.521 homens, chegando à conclusão de que o tamanho médio do pênis flácido é 9,16 cm, e ereto 13,12 cm. Esse é o percentil 50%, ou seja, se colocássemos todo mundo em fila por “ordem de tamanho”, quem tem essas medidas estaria bem no meio da fila. Com relação à circunferência, a média é 11,66 cm na ereção e 11,31 cm em repouso.
Mas antes de correr para pegar uma fita métrica e tirar suas medidas (se você não sabe as suas ou de seu parceiro de cor) e saber se são “normais”, é importante relativizar a importância do comprimento do pênis. As pessoas podem dar tanto peso a isso que chegam a desenvolver verdadeiros transtornos da imagem corporal. Tais homens ficam tão ansiosos com a questão que passam a evitar qualquer situação em que acreditem que seriam envergonhados pela pequenez de seus órgãos genitais, de vestiários de clubes a relações sexuais, levando a sérias restrições em sua vida. O que não se justificaria, porque assim como quem liga para celulite é mulher, não homem, quem se preocupa com tamanho do pênis é homem, não mulher. Enquete com mais de cinquenta mil homens e mulheres heterossexuais revelou que 85% delas estavam satisfeitas com o pênis do companheiro, ao passo que apenas 55% deles sentiam-se tranquilos. “Quem não queria, né?”, como diz o personagem sobre os dois centímetros.
Todas as característica humanas apresentam uma variação populacional – altura, inteligência, acuidade visual, sensibilidade tátil, memória, cor da pele etc. Estar mais para o começo ou para o fim da fila não quer dizer nada demais, desde que esse afastamento da média não seja grande o bastante para causar problemas. Com relação ao tamanho do pênis a pesquisa mostra que a porcentagem de homens com micropênis, quando intervenção médica é necessária, é tão reduzida (apenas 0,14% da população masculina), que na verdade na maioria das vezes a dificuldade não está lá embaixo, mas lá em cima, no cérebro, nosso principal órgão sexual.
Antes de se desesperar por estar um pouco aquém da média ou se gabar por estar além, portanto, pense na finalidade para qual você usa seu pênis. Se seu objetivo for dar prazer, e não apenas obtê-lo, certamente o tamanho será muito menos importante do que todo o resto que envolve o ato sexual. Mas se for o contrário, bem, aí é hora de repensar tudo o que você acredita sobre prazer, sexo e amor.

Nenhum comentário: