sexta-feira, 1 de abril de 2011

Paço do Zuzinha reabre hoje suas atividades com "Tributo ao Pop Rock anos 80".

Projeto da Fundação Cultural de Imperatriz homenageia bandas e músicos nacionais consagrados

Texto: Fabricio Evangelista
Banda Pilantropia

A efervescência musical no Brasil durante a década de 80 por vezes é atribuída a situação político-social que o país passava.  O fim da ditadura, a anistia e a lenta reabertura política realmente foram elementos que contribuíram com este cenário, mas qual ditadura, qual regime colocaria rédeas em Cazuza, Renato Russo ou Lobão?

Visando valorizar e difundir este movimento musical,  a Fundação Cultural de Imperatriz decidiu homenagear os grandes nomes do Pop-Rock nacional na reabertura do projeto Sexta as Seis, no Paço do Zuzinha, nesta sexta-feira, dia 1º de Abril. Segundo Axel Britto, coordenador da FCI e responsável pela programação, o projeto volta as atividades buscando se expandir cada vez mais. “Estamos buscando meios de torna o Paço do Zuzinha e o projeto “Sexta as Seis” cada vez maior, oferecendo aos imperatrizenses uma opção de lazer e de acesso a cultura”, afirmou.

Dentre os convidados para apresentar releituras, grandes músicos locais que já executam em seu repertório algumas das músicas de bandas como Ultraje a Rigor, Barão Vermelho, Legião Urbana e Titãs. “Mesmo sendo uma homenagem a esse movimento musical em que a grande maioria das bandas são do sul e sudeste do país, no nosso palco a grande estrela é o imperatrizense”, declarou Lucena Filho, presidente da Fundação Cultural de Imperatriz.
 
Entre os músicos já conhecidos como Neném Bragança, Ricardo Lima e Dilemar Júnio (Banda Antiquárius), estrão no palco do Paço do Zuzinha entusiastas como o médico Arqueimedes Milhomem e o jornalista Breno Franco.
 
O Paço do Zuzinha funciona no pátio da Fundação Cultural de Imperatriz, na esquina das ruas Luiz Domingues e Simplício Moreira e a programação se inicia por volta das 19 horas.

Nenhum comentário: