segunda-feira, 13 de junho de 2011

"Sou contra o 'pogreçu' do PT", diz comentarista-ambientalista

Sou ambientalista convicto pelo simples e óbvio fato de que me sinto na obrigação de proteger minha casa, afinal, o planeta Terra é onde todos moramos. É patente que o capitalismo, na forma como se apresenta, só faz aumentar o abissal fosso que separa ricos e pobres, além de explorar os recursos naturais de forma irresponsável. O que causa espanto no licenciamento em tela é a truculência do governo para sua implantação imediata.

Os técnicos concursados do Ibama que não têm o rabo preso com o governo se recusaram a assinar as licenças. Daí, muda-se o diretor e técnicos contratados (consultores, com experiência “internacional”) terminam por assinar o licenciamento. Lembremos que os diretores e presidentes dessas autarquias têm que estar em sintonia com o governo…

As cidades do entorno desse empreendimento não estão preparadas para o aporte repentino de milhares de operários. Com eles surgirão novas cidades, a começar pelos puteiros. A pedofilia que já é alarmante no norte do país, especialmente no Pará, crescerá sem freios.

Não sou contra o progresso. Sou contra o “pógreçu” do PT. Querem falsos resultados imediatos para alardearem pela mídia. Como exemplo, na pasta de Dona Ideli, a Secretaria da Pesca, o governo se orgulha de introduzir tilápias na Amazônia, camarão do Pacífico no nordeste e algas exóticas em nossos mares.

A despeito de existirem peixes nativos com enorme potencial para a aquicultura na amazônia, as tilápias crescem rápido pois já são criadas há muito tempo, em todo o mundo, dispondo de rações e técnicas avançadas, enquanto que surubins (bagrinho do Lula, lembram??), pirarucus, tambaquis e outros maravilhosos peixes nativos ainda não foram devidamente focados como alternativas viáveis, que são.

Camarões do Pacífico (Litopenaeus vannamei) não são saborosos como os nativos (L. paulensis) mas suas técnicas de criação já existem há décadas, daí a predileção do governo pelo que é mais rápido. O mais grave é que os mangues são os locais preferidos para essa criação… Quanto as algas exóticas (Kappaphycus alvarezzi), é ponto pacífico que podem causar enormes desequilíbrios ambientais, invadindo o substrato marinho e aniquilando as espécies nativas que, na corrida evolucionária, não aprederam a identificá-las como parte da teia trófica… Ademais, o maior argumento contra esses mega empreendimentos é que são “tocados” pela canalhada petista. Daí, como esperar algo sério e bem feito?

 O pior é saber que se a Dilma cair o Sir Ney volta. Se bem que, a bem da verdade, Sir Ney nunca saiu. (Rodrigo de Carvalho/Tribuna da Imprensa)

Nenhum comentário: