sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Secretário diz que "Governo não negocia com grevistas"


Em coletiva de imprensa realizada no final da manhã, o secretário Aluísio Mendes (Segurança) confirmou para esta sexta-feira a entrada de homens do Exército no patrulhamento das principais cidades do Maranhão.

Ainda hoje outro contingente da Força Nacional de Segurança chega ao estado. Aluísio Mendes disse que o comando operacional do policiamento ficará a cargo do Exército. Com todo esse efetivo extra, o policiamento será maior que o normalmente utilizado.

O secretário afirmou que, apesar da greve, os índices de violência em todo estado mantém-se estáveis. Nos últimos dias, só dois homicídios foram verificados na capital. Ele estimou em 55% na capital e 15% no interior o número dos policiais em greve. Aluísio Mendes afirmou que o governo só negocia com os policiais após o fim do movimento.

“Seria até incoerente a gente fazer o contrário depois de pedir a ilegalidade da greve na justiça. Por determinação da governadora, não se negocia enquanto eles estiverem nesse movimento. Há cinco meses vínhamos negociando com a categoria. Eu mesmo me reuni oito vezes com as associações que representam os grevistas”, disse.

O secretário declarou que a prisão dos líderes do movimento está sendo pedida porque os próprios comandantes da PM poderiam ser responsabilizados e enquadrados em crime de responsabilidade caso não o fizessem. “É uma obrigação legal”, explicou.
Ele confirmou para hoje o início do desconto de R$ 200 no salário de cada grevista, conforme decisão do desembargador Stélio Muniz que considerou a greve ilegal. Todos os comandantes de batalhões terão de passar diariamente a relação dos faltosos à Secretaria de Planejamento para a realização dos cortes.

Arrastões
Aluísio Mendes negou enfaticamente qualquer existência de arrastões na cidade. Classificou de “irresponsáveis” as pessoas que espalham este tipo de boato na cidade. O secretário contou que a polícia esteve ontem na Rua Grande e nenhuma ocorrência foi registrada, apesar da ocorrência de alguns tumultos. “São pessoas inescrupulosas que estão tentando tirar proveito da situação. Quem está fazendo isso está conspirando contra a população”, destacou. (Décio Sá)

Um comentário:

Anônimo disse...

Josué,o mundo está de cabela para baixo. Onde já se viu,um governate do PT, não apoiar uma greve,e ainda por cima,mandar o exercito bater e combater os grevistas.Até parece que este vice,nunca participou de greves.Oh pureza!!!.Vergonha nacara esquerdistas.Comunista arrependido e muito torturado,porem sem indenizações.