segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

OPERADORAS DE TELEFONIA: estamos sendo explorados, mas até quando vamos suportar isso?


Vivo, Tim, Oi, Claro... Seja fixa ou móvel, as operadoras estão "comendo a nossa carne", pois além de pagarmos as tarifas mais caras do mundo, não temos acerteza da veracidade dos bônus que eles anunciam, como se fossem uma grande vantagem, um grande favor, a excelência em bondade...

Vejam, eu por exemplo: sou informado hoje que tenho R$1.691.45 (mil seiscentos e noventa e um reais e quarenta e cinco centavos) de Bônus, com validade até 17/01/2012. Rapidamente a gente comemora: Puxa que legal! Que operadora boazinha!!! Mas não é nada disso.

Ora, se posso gastar apenas R$15.00 (Quinze reais) de Bônus - já que geralmente só coloco recargas de R$12.00 (Doze reais) - por dia, como até o dia 17 próximo vou gastar esses R$1.691,45 de bônus ? Claro que não vou conseguir gastar tudo isso em tão pouco tempo...Sendo um verdadeiro ligador, gastarei apenas R$240,00.

Por que esses bônus tem validade definida, se eles já nos foram dados? Sinceramente, é dar e tomar de volta. Está certo isso?

Posso até estar errado, mas alguém ai mais esclarecido sobre o assunto pode me explicar?

Uma pesquisa realizada pela Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel no último mês de maio mostra que o número de celulares no país ultrapassou a marca de 215 milhões. Ou seja: são 115 aparelhos para cada 100 habitantes. Esse número reflete o perfil dos consumidores brasileiros, que estão adquirindo mais aparelhos e consequentemente, utilizando os serviços de mais operadoras.

O meu consolo é que não sou só eu o incomodado. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Departamento Nacional de Proteção e Defesa do Consumidor – DPDC, órgão do Ministério da Justiça, as companhias telefônicas foram as primeiras da lista de queixas em 14 de 23 Estados e no DF, lugares onde o levantamento foi feito.

As principais queixas na área de telefonia fixa e móvel são: Cobrança indevida/ abusiva, Serviço não fornecido (entrega/ instalação/ contrato/ não cumprimento da oferta), Contrato – rescisão/ alteração unilateral, Vício de qualidade (mal executado, inadequado, impróprio), Garantia – descumprimento, prazo.

Dados Anatel mostram que em comparação ao primeiro trimestre de 2010 com o primeiro trimestre de 2011, o número de reclamações contra cobranças indevidas e abusivas, principal problema nos Procons de todo Brasil, cresceu de 64 mil para 87 mil. Passaram de 36% para 43% do total de queixas.

As empresas de telefonia deveriam dar exemplo na área de telecomunicações, não só para terem suas vendas garantidas, mas por se tratarem de empresas criadas com o objetivo de facilitar a comunicação entre as pessoas.

Bom, e nós, vamos ficar só nos queixando? Estou propondo aqui um levante nacional para coibir esses abusos. O que acham disso?

Um comentário:

radio topnet disse...

realmente somos uma especie de refen das operadoras brasileiras, ate quando mesmo isso vai durar? até quando? Mais enfim isso é justo porque lembre-se que estamos no Maranhão...