quinta-feira, 29 de março de 2012

Jornalista manda recado para assassinos de seu irmão

O Maranhão está envolto num verdadeiro "banho de sangue". Em todas as regiões do Estado o crime de pistolagem e a impunidade permeiam livres.

Jorge Santos Marques
Mais  um crime ajuda a encharcar de sangue a cidade de Imperatriz e o Maranhão. Foi assassinado por volta das 21 horas de ontem (28/03/2012), o moto-taxista Jorge Santos Marques, 38 anos, irmão do jornalista, ex-candidato a vereador, Josevan Marques.

Segundo testemunhas ele estava encostado em seu veiculo gol preto, quando dois elementos chegaram em uma moto tornado preta e efetuaram vários disparos de pistola 1.40, sendo que  dois tiros acertaram o veiculo e uma outra pessoa que estava no local, Danilo da Cunha Santos, foi alvejado com um tiro de raspão no pescoço, foi socorrido para Socorrão mais sem risco de vida.


Populares se aglomeram assustados ante mais um assassinato em Imperatriz
O sinistro aconteceu  na Rua Beta, entre Rua Estreita e Rua Piauí, no bairro Bacurí. Jorge teria chegado de viagem e se encontrava visitando familiares. 

Até o momento da publicação deste post (09:54 hs)  a polícia ainda não havia encontrado os matadores. Pelo fato de se tratar de um irmão de jornalista, político, a pressão para a elucidação do crime está sendo grande. O próprio Josevan Marques hoje pela manhã em entrevista ao Programa  Bandeira 2 cobrou das autoridades ação imediata para desvendar tudo e prender executores e possíveis mandantes. Também de maneira perigosa se dirigiu através da TV aos pistoleiros.

Josevan Marques
"Vou mandar um recado para os assassinos do meu irmão: Isso não vai ficar assim, vamos fazer de tudo para que vocês respondam por isso. Vocês vão ter que me matar, pois enquanto vida eu tiver vou lutar para que haja Justiça nesse caso e vocês paguem por terem tirado a vida de um pai de família", disse Josevan, informando que os assassinos deixaram órfãos cinco filhos de seu irmão.

Ao final do programa o  apresentador do Bandeira 2, vereador Raimundo Roma, informou que segundo havia tido informações, o secretário de Segurança do Maranhão, Aluísio Mendes, estaria enviando para Imperatriz uma "força tarefa" que se encarregaria de reforçar o aparelho da polícia civil local na apuração deste e de outros homicídios.

A grande verdade é que o Maranhão está envolto num verdadeiro "banho de sangue". Em todas as regiões do Estado o crime de pistolagem e a impunidade permeiam livres. Esse tipo de crime não escolhe cara. Seja rico, pobre, preto ou branco, que seja uma pessoa correta, boa, sem antecedentes criminais, ou que  seja "enrrolado", envolvido com droga ou passagem pela polícia. A violência e a insegurança  é geral no Maranhão e qualquer um pode ser vítima.

Com a palavra, a governadora Roseana Sarney e as autoridades de segurança pública do Maranhão.

4 comentários:

Raimundo Junior disse...

E agora senhor delegado vai se esforçar para encontrar os culpados de tal crime, e do outro moto-taxista que morreu nas proximidades da escola Amaral Raposo? ou vossa senhoria só soluciona casos de pessoas ricas?

Blog do Josué Moura disse...

Partilho de sua indiganção, caro Júnior, mas no caso em tela, nem Josevan, nem o irmão são ricos. Poderiamos dizer que Josevan, por ser jornalista e político, tem certa influência, no que não deveria lhe colocar acima dos demais.Todos os homicídios ocorridos no Maranhão deveriam ter o memso tratamento por parte da polícia.

Blog do Josué Moura disse...

Ou seja, que criminosos sejam presos e punidos de acordo com a lei. mas o que se vê hoje, como disse no post, é a impunidade.A saida é a sociedade se mobilizar e cobrar das autoridades.

Anônimo disse...

eu digo que com os delegados de policia civis e militares que temos aquir é
só querer que discobre tudo, só que pelo outro lado tem tambem a falta de policiais, tem que dobrar o elenco,por ex. a força nacional.
air vamos ver o que aconteceneh ,, gente é bricadeira agente chega em qualquer lugar do pais se falarmos que somos de imperatriz nossa,, senhora
as pessoas não querem nem ver mais agente,,