quarta-feira, 4 de abril de 2012

PARTIDOS, ONDE ESTÁ A DEMOCRACIA INTERNA?

Alguma lei precisa ser criada  em relação aos funcionamento dos partidos.  Acho uma excrescência a maneira como funcionam os partidos brasileiros, com verdadeiros donos, sem ou quase nenhuma democracia interna.  Vejamos: a direção nacional dita regras, mantém as filiais dos partidos nos estados e municípios apenas com Comissões "provisórias" que se perpetuam ou sofrem intervenção à menor discordância dos manda chuvas partidários. Não aceitam criação de diretórios, preferem ficar nas provisórias para poder intervir a qualquer momento.

Não venham me dizer que cada partido tem o seu estatuto e que este é que deve reger seu funcionamento interno, pois isso não tem funcionado.

Lupi e o famoso avião, alvo de um desmentido de Igor Lago
Dou como exemplo o meu partido, o PDT, aqui no Maranhão. Igor Matos Lago ousou falar a verdade no caso do avião que transportou o ex-ministro Lupi e perdeu o comando do partido numa canetada de Lupi e Manoel Dias os dois que governam o partido desde a morte de Leonel Brizola. Mesmo sob o olhar estupefato da classe política nacional  e os apelos e protestos da maioria dos filiados Igor foi alijado. 

Portanto penso que deveria no Direito Eleitoral constar alguma coisa que garantisse a democracia interna nos partidos.

Por exemplo:

1 - Que as comissões provisórias só pudessem ter uma renovação e em seguida ter obrigatoriamente eleição para a escolha de diretório;

2 -Também que nenhuma decisão intervencionista poderia  acontecer sem ampla discussão nos três níveis, municipal, estadual  e nacional. 

3 - Que seguidamente uma pessoa possa presidir o partido apenas duas vezes, assim como está previsto no direito de reeleição para presidente da república, governadores e prefeitos.  Por que nos partidos um líder pode se eternizar?

4 - Que existam critérios para que uma mesma pessoa não possa indiretamente comandar vários partidos. É uma vergonha constatar que um prefeito ou liderança se apropria de um partido num município e coloca a esposa ou um filho para tomar conta de outro.

5 - Também no âmbito da Lei da Ficha Limpa, que os dirigentes partidários estejam limpos para poderem estar na direção do partido. Ora, um cara como Carlos Lupi é denunciado, cai como ministro e depois fica comandando um partido?

Conclui-se assim que num país onde tanto se fala em democracia, onde o exercício da atividade política cada vez mais é monitorado e a sociedade exige da classe política um comportamento ético, os partidos estão na contramão dessas mudanças e das  exigências da cidadania.

Quero aqui lançar um movimento nacional pela democracia nos partidos brasileiros. Que estes também sejam alcançados pelas mudanças que vem acontecendo nas outras instancias de organização para o exercício da política no país.

Pergunto: o que acham disso ?

6 comentários:

Anônimo disse...

Muito bem lembrado meu caro Josué Moura. O Sr. está de parabens pela iniciativa. Aqui em Governador Edison Lobão-MA, o presidente do PT é o vereador Zé Paulo, o presidente do DEM é seu filho Junior e a esposa do vereador é pré-candidata a prefeita pelo PSC, mesmo sabendo que não tem a mínima chance. Zé Paulo portanto manda em tres partidos, uma vergonha.. Pode? (REGINALDO da Baixada(Edison Lobão-MA).

Anônimo disse...

Parabéns Jornalista, vc deveria se formar em Direito, muito inteligente e nescessária sua proposta (Lucas Viana Marangoni).

Francysco Bharão disse...

Via de regra no Brasil, manda quem pode, obedece quem tem juízo. Diz o ditado que aqueles que não se interessam por política, serão governados pelos que se interessam. Assim, eu pelo menos continuo escapando e graças ao bom Deus sem estar filiado a nenhuma entidade partidária. Nem bem tomou posse, a presidente Dilma começou a cobrar atitudes dos partidos de sua base. Lembro q o Ministro Carlos Luppi assim declarou:_ somos aliados, mas jamais subordinados. E os atos que epraticou ao mostrar-se
insubordinado? Faça o q eu digo, mas jamais faça o que eu faço. Ao compará-los com um deputado ou senador, deixam de serem deputados para se tranformarem em DETURPADO ou PARALAMEMTAREM

Anônimo disse...

O que não podemos permitir, também, é que, a pretexto de defesa da democracia, líderes partidários conduzam as decisões internas motivados apenas pelo interesse em manter empreguinhos em prefeituras ou gabinetes.

Clayton Noleto

Hugo Freitas disse...

Muito boa sua reflexão, companheiro Josué. Melhor ainda sua proposta.
Apoiado! E que venha mais uma luta digna de ser travada.
Abraços fraternos.
Hugo Freitas

Anônimo disse...

Meu caro Josué Moura, sua proposta é excelente, pois partido hoje não é comunidade, é propriedade e isso já há muito tempo. Minha preocupaõa é que se fassam leis bem arrumadinhas, detalhadasinhas, esclarecidasinas, porem se deixem as famigeradas brecha como foram deixadas ma rescente lei da ficha limpa que parece está servindo para alguém se "limpar". Se não vejamos: em Imperatriz pareceu que estávamos livre da figura de Ildom que, admitindo sua incapacedade na administração da coisa pública, disse que seria candidato mesmo com liminar. Agora ele não precisa ter essa preocupação, basta firmas um contrato de cavalheiro comprometendo-se a pagar débitus proveniente contas não justificadas em modestas 600 parcelas , com 10 anos de carencia pars início do pagamento e pronto,osujo totalmente imaculado. Tenho dito

Antonio Pereira Amorim
opoeta.04-12@hotmail.com