terça-feira, 1 de maio de 2012

Visita do ministro reacende esperanças dos pescadores

Há mais de oito anos o antigo mercado foi demolido para a construção de um Centro de Artesanato



Por Ronie Petterson do Correio Popular

O que restou do Mercado do Peixe em Imperatriz
A vinda do ministro da Pesca e Aquicultura a Imperatriz na última segunda-feira (23) reacendeu as esperanças na construção da nova sede do Mercado do Peixe da cidade. Há mais de oito anos o antigo mercado foi demolido para a construção de um Centro de Artesanato. Com a inviabilização do projeto os pescadores retomaram a sede, toda deteriorada, e o centro de apoio aos artesãos foi construído em outro local.


A presença do ministro Marcelo Crivela, patrocinada pela Confederação Nacional dos Pescadores, deu espaço para uma cobrança pública pela liberação dos recursos para a construção da nova sede. O projeto do Mercado do Peixe de Imperatriz prevê que o prédio terá dois andares, salas administrativas, auditório, duas lanchonetes, estandes de venda para os pescados e uma fábrica de gelo. 



A Colônia de Pescadores Z-29 vislumbra que a estrutura moderna contará com um elevador para portadores de necessidades especiais, espaço para estocagem do produto em grande escala, um aquário com as principais espécies da região, além de um local para a exposição das espécies empalhadas, fruto do temor da extinção de algumas espécies.



Para alguns pescadores, as esperanças se renovaram, e bastaram o pedido do prefeito Sebastião Madeira e algumas palavras, sem compromisso formal, do ministro Crivela. 



O projeto inicial do Mercado do Peixe foi orçado em mais de R$ 2 milhões. Recentemente o deputado federal Lourival Mendes (PTdoB-MA) conseguiu aprovar a atualização monetária do projeto, agora orçado em R$ 4,5 milhões.



Pescador há 18 anos, Valdemiro Cunha figura na lista dos otimistas. Ele acredita que o Mercado do Peixe, com uma sede equipada e moderna, proporcionará “mais conforto para que nós possamos desenvolver nossa atividade”. Já o meio desacreditado Albanio Freitas de Sousa mantém o discurso cauteloso. “Nós já estamos meio desconfiados com os governos, mas esse foi o primeiro ministro que deu o sinal positivo para a criação desse mercado, a nossa esperança é que a obra venha”.



Em Imperatriz, o ministro Crivela participou do 1º Seminário de Pesca Artesanal e Aquicultura Familiar do Meio Norte do Brasil, evento que contou com a participação de aproximadamente duas mil pessoas. O seminário teve o apoio da Superintendência da Pesca do Maranhão e da Prefeitura Municipal de Imperatriz. 



A Colônia de Pescadores Z-29 funciona na Avenida Beira Rio e possui uma área de captura de mais de 300 quilômetros de extensão da confluência dos rios Lajeado/Tocantins e da confluência dos rios Tocantins/Araguaia. A Z-29 já chegou a ter mais de dois mil pescadores filiados. Com a criação de outras entidades municipais e o grande abandono que a profissão tem sofrido nos últimos anos, atualmente o quadro de associados não excede a 700 pescadores.

Nenhum comentário: