terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

"ATÉ TÚ?" SECRETÁRIO DE COMUNICAÇÃO DO ESTADO, SÉRGIO MACEDO RECLAMA DA CEMAR

Sem energia elétrica por cerca 24 horas, Sérgio teve que se hospedar num Hotel, pois não suportou o calor e as muriçocas.

Sérgio Macedo
O secretário de comunicação do governo Roseana Sarney, jornalista Sérgio Antonio Mesquita Macedo, é um adepto da rede social Facebook. "Na moita", reservado, como é do seu estilo e talvez pelo cargo que exerce, quase não dá sinal de vida na sua página nem participa de debates acalorados como é de praxe nesse instrumento midiático que eu considero um dos ícones da revolução digital.

Mas dizem que “a dor é que ensina a gemer”. Para surpresa minha e talvez de muitos, que mesmo tendo enormes tarefas a cumprir na senda jornalística, passam o dia inteiro “ligados no face”, claro, no meu caso também pelo fato da rede ser um dos nossos 'meios', eis que o sisudo Sérgio Macedo reaparece como um simples mortal, reclamando da CEMAR, a nossa ilustre fornecedora de Energia Elétrica do Maranhão. 

Muriçoca, ou Carapanã.
Segundo o nobre colega, este teria ficado sem luz por um longo tempo, trancado em sua casa, sem sequer poder abrir o portão para sair e pedir ajuda. 

Depois, nos comentários informou que por volta de uma da manhã teve que se hospedar no Íbis Hotel, pois não suportou o calor e as muriçocas, a quem denominou pelo nome indígena/paraense de “Carapanãs”.

Banner da CEMAR no site da empresa
O protesto de Sérgio gerou 16 comentários, a maioria de amigos e parentes que aproveitaram para fazer gozação, já que reclamar da CEMAR se tornou tão comum que ninguém leva mais  a sério. Entre as brincadeiras teve até quem sugerisse que Sérgio pedisse à governadora para “estatizar novamente” a empresa. Um dos chefes do Sistema Mirante,o  jornalista Rômulo Barbosa e o o ex-deputado Paulo Marinho, também comentaram o post de Sérgio Macedo.

Mas a pancada veio do folclórico Emanoel Viana “o homem que não engana”, que aproveitou para detonar o governo: “Imagina se fosse um qualquer, o teu governo tem um diretor da CEMAR indicado pela Roseana e o governo tem participação acionaria...ah a governadora deu uma comenda ao presidente da CEMAR pelos bons serviços... Agüenta !!!!!”, disse.

Considero isso positivo, sob dois ângulos: primeiro que o descaso e o péssimo atendimento da CEMAR ao afetar até gentes do governo, nesse caso o homem forte da comunicação governamental, poderá forçar uma melhoria, já que a reclamação de Sérgio deverá com certeza chegar nas chefias da empresa e até à governadora Roseana. Segundo, o fato de Sérgio como secretário de Estado - não creio que tenha agido sem pensar - mesmo sabendo de quem é a culpa da incompetência da Cemar, teve a coragem de tornar isso público. Resta agora saber se ele não receberá um "puxão de orelhas" e se terá a disposição para brigar contra o descaso dessa empresa que afeta a todos diariamente com sua ineficiência. No Maranhão inteiro, mas o quadro é pior nas pequenas cidades e nos centros mais pobres.

Abaixo a postagem de Sérgio e  os comentários feitos até o momento desta edição.

Sábado, 23, faltou energia elétrica oito da manhã. Pelo 116 acionei a Cemar a partir daquele instante vez que o problema era apenas na minha casa. Não tinha chuva nem nada. O dia todo à espera do socorro da Cemar, apesar dos dez ou quinze apelos feitos através do número da "emergência". A equipe que veio trazer a luz de volta não trabalhou nem 5 minutos para restabelecer a normalidade, isso contando com os tempos de colocar e retirar a escada. Acho que fizeram um remendo de qualquer jeito, pois ha meia hora, neste calorzão de meu Deus, estabeleceu-se o breu DE NOVO. Tudo escuro, portão trancado, sem jeito até pra retirar o carro e buscar a alternativa de um hotel.Vou pedir socorro, porque a tirar pelo sábado passado, a Cemar só vai vir aqui lá pras oito da manhã, SE NÃO CHOVER!!!

Comentários:
Curtir ·  · Compartilhar
·         Sidney RodriguesAntonio Pinheiro SilvaRobert Lobato e outras 9 pessoas curtiram isso.
·          
Sandra Maria Macedo Pacheco Tadinho!!! Quer o meu helicóptero?
·         Ana Matilde Costa Minha solidaridade, amigo.
·         Péricles Bernardino O escolhido.
·         Paulo Fonseca Marinho "Serjao no breu" srsr Pau nessa cemar
·         Sérgio Antonio Mesquita Macedo A escuridão, tudo bem, mas os "capanãs", Deus do céu. Uma da manhã mudei pro Ibis.
·         Rômulo Barbosa Sérgio, faltou energia em todo o bairro Quintas do Calhau no sábado, mas a Cemar avisou por meio de um folheto e com bastante antecedência. Foi das 8 até às 14, pontualmente. Eles mudar toda a rede.
·         Rômulo Barbosa Mudaram...
·         Jose Moura Faltou comunicação...
·         Paulo Fonseca Marinho Pó,, essa Cemar ta importante!!!! Serjao vc ficou ou não ficou no breu? Kkkk
·         Emanoel Viana Ohomemquenaoengana Imagina se fosse um qualquer, o teu governo tem um diretor da CEMAR indicado pela Roseana e o governo tem participação acionaria...ah a governadora deu uma comenda ao presidente da CEMAR pelos bons serviços... Agüenta !!!!!
·         Marcos Eleoterio Imagine.
·         Jose Moura A Cemar é privatizada, graças a Deus. Senão o presidente seria Weverton Rocha no governo da mudança. Kkkk
·         Maxwell Guerra A Cemar é mista meu caro... Tem a parte Privada, mas tem a pública também.
·         Valter Lima Azevedo Ha muito tempo Cemar deixou de ser economia mista
·         Sérgio Antonio Mesquita Macedo Rômulo, no sábado, pelo menos na minha rua, só faltou na minha casa, tanto é que a unidade de "emergência"foi lá só para isso. As casas da direita e da esquerda, assim como todas as demais, de um lado e do outro, estavam devidamente energizadas, o dia todo. Aliás, nas vinte vezes que liguei para o 116, o atendimento vinha logo dizendo: "... estamos com falta de energia no Angelim, em Rosário e Ribamar Fiquene...". Quintas do Calhau não estava na lista.
·         Joaquim Marcos manda a governadora estatizar a cemar sergio

Só um registro:
Em Imperatriz eu mesmo fui testemunha do péssimo atendimento da CEMAR. Não me lembro a data ao certo, mas sei que foi no mês de janeiro deste ano, logo após uma forte chuva que caiu sobre a cidade, eu passei quase três dias sem energia elétrica, a partir  de uma sexta-feira  por volta de quase meio dia até as 11 horas de domingo. Foram gerados três protocolos de reclamação e sempre a atendente do 116 dizia que uma equipe estaria a caminho, mas debalde eu aguardava no calor e  sob o ataque das muriçocas. Diferente do colega Sérgio Macedo, não pude me hospedar num hotel, minha prole é muita grande, sairia muito caro.

Nenhum comentário: