segunda-feira, 14 de abril de 2014

AV. PEDRO NEIVA DE SANTANA, O RETRATO DA INCÚRIA DO GOVERNO ROSEANA

PERGUNTAR NÃO OFENDE: EM QUE DEU MESMO A AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO?
Roseana momento da inauguração da obra que o próprio Promotor Sandro Bíscaro chamou de "um acinte, uma vergonha..."


A TV mirante exibiu agora à noite no JMTV 2ª ediçãomais uma matéria expondo a situação crítica em que se encontra a MA-122 (Avenida Pedro Neiva de Santana), cerca de 8 km de extensão, único meio terrestre de acesso entre Imperatriz e a cidade de João Lisboa, que passou mais de dois anos para ser construida e que depois de inaugurada em 17/12/2012, menos de dois anos já está quase intrafegável. 

Aproveitando o ensejo, quero aproveitar para fazer uma cobrança: em que deu mesmo um Inquérito Administrativo instaurado pelo Ministério Público sobre essa vergonhosa obra do governo Roseana?

Em entrevista ao Jornal Bom Dia Mirante de 14/05/2012, o promotor de Justiça de Defesa do Cidadão, respondendo pela 1ª Promotoria da Probidade Administrativa de Imperatriz, Sandro Bíscaro, falou sobre o Inquérito Civil instaurado em 28.03.2011, conjuntamente pelas Promotorias de Justiça da Probidade Administrativa e do Cidadão de Imperatriz, para apurar as condições pelas quais estavam sendo executadas as obras de duplicação da Rodovia

"Isso é um acinte, uma vergonha, uma falta de respeito ao povo de João Lisboa e Imperatriz", disse Sandro Bíscaro.

A Secretaria de Estado da Infraestrutura, por seu Secretário Max Barros, a época, a princípio, negou ao Ministério Público cópia dos autos do processo licitatório, levando a instituição a suspeitar de irregularidades e a processá-lo por improbidade administrativa e representá-lo criminalmente à Procuradoria Geral de Justiça. O MP também ingressou com representação no TCE, requerendo uma auditoria, mas ainda, passado mais de um ano do pleito, ainda não recebeu resposta. Em razão disso, o MP também ingressou com ação civil pública contra o Estado do Maranhão para obrigá-lo a apresentar o processo licitatório, ante o descumprimento à requisição do MP pelo referido Secretário. Posteriormente, com a liminar deferida, o Secretário informou nos autos que a licitação estaria à disposição do MP.

A empresa Guterres, responsável pela obra, é a mesma que ganhou a licitação para construir os tão falados 72 hospitais e que acabou abandonando as obras inconclusas, atualmente um "calcanhar de aquiles" do governo Roseana, assunto para inflamados discursos oposicionistas e pauta até da imprensa nacional . Aqui, a empresa e representantes do governo estadual viviam batendo boca nos meios de comunicação, cada qual colocando a culpa um no outro.


Vejam a entrevista do Promotor Sandro Bíscaro Na TV Mirante:

O Blog aguarda uma resposta do nobre promotor de Justiça sobre o assunto que imagino ser do interesse da coletividade.

Nenhum comentário: