segunda-feira, 30 de junho de 2014

ADEUS A SARNEY: PT NACIONAL PROÍBE A INDICAÇÃO DO VICE DE EDINHO LOBÃO

Proibidos de abraçar Edinho Lobão (PMDB), petistas da ala de Sarney já pensam em Dino
O candidato da oligarquia Sarney ao governo do Maranhão, Edinho Lobão (PMDB), começa a campanha com duas baixas: não teve a participação de Lula nem Dilma na convenção do PMDB e o PT Nacional proibiu a legenda de indicar o candidato a vice-governador.

Edinho terá o PT na sua chapa apenas de forma ilustrativa, com a primeira suplência de senador. Mesmo assim, o partido enfrenta problemas para indicar o nome, visto que o pretendente, Raimundo Monteiro, está na lista dos condenados pelo Tribunal de Contas da União (TCU).
Edinho, no centro dos petistas, pode ficar até sem Monteiro (à direita) na chapa do Senado
A resolução da Comissão Executiva Nacional (veja AQUI) é clara: "Proíbe que o PT indique a candidatura de vice-governador, librando-a para qualquer outro partido da coligação."

Sem o PT na posição de vice, Edinho perde a referência de "candidato de Lula e Dilma" - mote publicitário fundamental para impulsionar a campanha.

O máximo que o candidato da oligarquia pode ter é uma gravação de TV e rádio, na qual Lula dará o adeus a Sarney.

Orientado pelos marqueteiros, o comando da campanha de Dilma já disse a ela se manter afastada de Sarney para evitar vaias e desgaste na campanha.

Sem o PT, Edinho Lobão sequer sai do chão.

Nenhum comentário: