quarta-feira, 2 de julho de 2014

SERRA PELADA – E AGORA ?

Postado por: JOHN JESSE

SERRA PELADA – E AGORA ?

Pronto! Agora nenhuma informação sobre o Projeto Serra Pelada. O projeto chegou a ser a esperança de redenção de Curionópolis entre 2011 e 2012 quando atingiu a cota de mais de 600 funcionários na implantação. Hoje o que resta são apenas uma dezena de funcionários cuidando do bombeamento da mina para que não se perca todo trabalho de perfuração que já ultrapassou mais de dois quilômetros.

No site da Cooperativa parceira no projeto apenas releases defasados de quando o projeto funcionava. Não há uma pessoa na região que dê qualquer informação sobre o que acontecerá com o projeto e enquanto isso garimpeiros de várias cidades do país ficam a mercê de informações conduzidas por grupos que tem interesse em assumir uma das mais lucrativas cooperativas de garimpeiros da região.
mesmo-com-milhoes-em-investimento-parcria-nao-deu-certoPara ter uma ideia, no novo site da entidade a única coisa que se encontra de atual é o aplicativo de emissão de boleto para pagamento de mensalidade, ou seja, apenas o que interessa no quesito arrecadação. Enquanto que do lado da Colossus empresa “parceira” omissão total depois das ultimas informações de falência, perda do alvará e etc..
A estagnação do projeto por conta dos vários problemas judiciais afetou tanto o município que perdeu em arrecadação, geração de emprego e renda, quanto os garimpeiros sócios da cooperativa em um número superior a 38 mil. Com todos os problemas a Coomigasp chega a arrecadar mais de dois milhões de reais por ano com contribuição dos sócios. Cálculo simples, 38.000 sócios multiplicado pela contribuição anual de R$ 60,00.
Produção – O primeiro prazo previsto para produção da mina foi 2012, prazo adiado por condições climáticas da região e dificuldades no desenvolvimento das galerias subterrâneas. Ficou previsto então que a produção seria iniciada no primeiro semestre de 2013, prazo adiado para o segundo semestre até que no final do ano o projeto começou a parar e agora, no meio do ano de 2014 não há uma certeza se quer do que vai acontecer com o projeto Serra Pelada.
parceria-iniciou-os-trabalhos-mas-a-mina-nao-produziuO que se sabe até agora é que três grupos se mobilizam para brigar pelo controle da cooperativa o primeiro deles é encabeçado por Vitor Albarado, que já foi delegado da entidade, mas desde meados de 2013 que afirma não concordar com os desmandos dentro da entidade, sua luta pelo controle da cooperativa já gerou confronto e pelo menos 25 saíram feridos durante manifestação nas proximidades do canteiro de obras do projeto.
Outro grupo é encabeçado por João Batista, sócio da entidade residente em Itaituba região Nordeste do Para, que se auto intitula “garimpeiro de verdade”, esse apoia sua esperança na ligação com a intervenção de Marcos Alexandre.
parceria-não-deu-resultado-positivoA terceira via, surpreendam-se, é encabeçada por Gessé Simão de Melo, que foi afastado da cooperativa por “suposta” fraude que teria resultado no desvio de mais de 50 milhões de reais. Esses três grupos se mobilizam para uma possível Assembleia que deve ocorrer em Agosto.
IMG_6798
Interventor Marcos Alexandre
A Coomigasp está sob intervenção desde 11 de outubro de 2013, quando o juiz Danilo Alves, de Curionópolis, atendendo solicitação do Ministério Público do Pará, decretou a intervenção. Para o MPE, a intervenção serve para que a “cooperativa seja profissionalmente e administrativamente gerida, intencionando ainda garantir a lisura, transparência e legitimidade nas eleições internas dos seus dirigentes, vislumbrando atingir seu objetivo precípuo, que é a distribuição dos lucros aos seus cooperados.” A justiça de Curionópolis prorrogou no dia 09 de abril, por mais quatro meses, a intervenção continuando como interventor o administrador Marcos Alexandre Mendes.
E agora “José” – Todos conhecem o termo “chorar o leite derramado”, pois bem, depois de tudo que aconteceu dentro da Coomigasp desde 2007 quando iniciou o namoro entre a cooperativa e a empresa Colossus o que se tem agora são dúvidas e mais dúvidas, perguntas sem respostas e pior, não há quem responda, nem Coomigasp, nem Colossus, ninguém pode dar uma garantia de quando o projeto volta a funcionar, se é que volta.
Enquanto isso a cooperativa continua arrecadando dos sócios espalhados por todo Brasil, a sociedade de garimpeiros continua esperançosa de ver e ter de volta algum quinhão de tudo que já se investiu em Serra Pelada, e não foram apenas contribuições financeiras, muitos deixaram sua vida a ali, e afirmam: “Só volto pra casa com dinheiro da Serra Pelada”.
Curionópolis, cidade que atualmente tem grande parte de sua economia voltada para área mineral sofre com esse impasse, e até mesmo o prefeito de Curionópolis que foi destaque como um dos melhores prefeitos do Estado do Pará – 2009 – 2012, ver-se de mãos atadas, tal quais os vereadores, já que o problema de Serra Pelada já tramitou nos corredores do Congresso, já passou pelo Senado, tramita em Justiça e até agora nenhuma solução concreta foi dada.

Um comentário:

Anônimo disse...

Cadê o Ministro Lobão? com as velhas e mal fadadas promessas. Senhor Ministro...por favor! me compre um BODE...atenção garimpeiros e seus familiares...votem no EDINHO 30%. rsrsrsr;