sexta-feira, 22 de agosto de 2014

CADÊ A JUSTIÇA ELEITORAL? TV DIFUSORA DA FAMÍLIA LOBÃO ATACA ADVERSÁRIOS E FAZ CAMPANHA ABERTA PARA LOBÃO FILHO


O JORNALISMO SE APEQUENA NA TV DA FAMÍLIA LOBÃO EM IMPERATRIZ.


O desespero tomou conta da campanha do Lobinho Filho, principalmente aqui em Imperatriz, cidade onde a rejeição ao filho do ministro é grandiosa, e o nome de Flávio Dino só se consolida a cada dia. Tal é o desespero que a alternativa encontrada “por eles” para se contrapor ao fortalecimento de Dino no coração do eleitor, tem sido usar o sinal de TV que a família do candidato controla ( TV Difusora) com fins flagrantemente eleitoreiros. 

A estratégia encontrada pelos marqueteiros do candidato a governador, cuja família controla o sinal do SBT no Maranhão, é tentar ridicularizar Flávio Dino com charges de gosto duvidoso com a pseudo intenção de criticar a gestão do prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira, um dos poucos gestores municipais maranhenses que teve coragem de dizer não ao projeto de Lobão Filho de tentar virar governador, e se posicionar do lado de Flávio Dino. 

Por conta da coragem do "não ao lobo" Madeira entrou pra “lista negra da Difusora” com o “pau comendo” todos os dias sem direito ao contraditório, o que deixa o “jornalismo” da emissora, menor. Ouvir os dois lados é regra basilar do bom jornalismo e isso não tem sido feito pela TV da Rua Monte Castelo nas questões relacionadas à gestão municipal. Para se constatar o que digo basta acompanhar desde cedo da manhã sua programação. 

Na edição desta sexta-feira a emissora da família Lobão, no Jornal da Difusora, ultrapassou todos os limites do bom senso ao exibir mais uma charge animada contra Madeira e Flávio. O que parecia uma inocente e engraçada critica aos problemas da cidade, no final se transformou numa “peça acusatória” onde, criminosamente, a TV acusa o prefeito de desviar recursos da Prefeitura para a campanha de Dino. 

Pelo que se sabe, atribuir falsamente, à alguém a responsabilidade pela prática de um fato definido como crime, é conduta tipificada pelo Código Penal Brasileiro, assim como também o é , atribuir à alguém fato determinado e ofensivo à sua reputação; condutas flagrantemente praticadas pelo “jornalismo da TV Difusora de Imperatriz” na tarde de hoje (22) em relação ao prefeito Madeira. No caso do candidato a governador Flávio Dino, na forma como a TV o apresenta nas charges já exibidas, não resta qualquer margem de dúvida de que a intenção é causar danos à sua imagem com objetivo de influenciar a vontade do eleitor, conduta que salvo engano, é vedada pela Justiça Eleitoral. 

Essa ofensiva “jornalística/eleitoreira” da TV Difusora para tentar obter dividendos eleitorais é acima de tudo equivocada e macula a imagem da empresa até então, protagonista de um jornalismo interativo e popular. É lamentável que por conta da disputa eleitoral para o Governo do Maranhão, uma concessão pública esteja sendo usada cristalinamente para tentar beneficiar uma candidatura em detrimento de outra por meio de uma vil e ardilosa estratégia de manipulação da opinião pública. 

Ainda bem que o mundo mudou e em que pese a rapidez na veiculação das noticias, teorias, teses, verdades prontas, mentiras; projetos e ideologias gerou um cidadão cada vez mais critico e capaz de filtrar o que vê, ouve, e o que lê nesse universo o que nos leva a inferir que no caso dessa estratégia da Difusora o feitiço pode virar contra o feiticeiro, ou seja, produzir um efeito contrário às intenções nada ortodoxas da família que lhe controla.

Nenhum comentário: