terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Radialistas lamentam morte de Clodomir Guimarães, o "Corró"

Por Gil Carvalho

Clodomir Guimarães, o "Corró"
O radialista Clodomir Alves Guimarães, 58 anos, o “Corró”, morreu nesta terça-feira,22, por volta das 9h30, em sua residência no bairro Santa Rita, em Imperatriz.

Ele sofreu uma parada cardiorespiratória agravada de uma diabetes. Corró também sofria de hipertensão e estava apenas com 30% dos rins em funcionamento, sendo recomendado inclusive um transplante.

Corró era um dos radialistas mais antigos da imprensa de Imperatriz, onde militou nas rádios Imperatriz (extinta), Difusora, em São Luís, e Mirante AM, de Imperatriz. Ele comandava há nove anos o programa “A Fazenda do Corro”, na Mirante AM.

O radialista Leodilson Costa Gomes, o Léo Costa, lamentou a morte do colega e disse que “a cidade perde mais um dos profissionais da imprensa”. “Corró foi pioneiro na radiodifusão imperatrizense, onde tive o privilégio de trabalhar com ele (Corró) por quase dois anos na antiga rádio Imperatriz”, conta.

Ele lembra ainda que meados de 1997 trabalho com o radialista Clodomir Guimarães na então rádio Carajás AM, em João Lisboa. “Desde cedo acompanhava o programa do Corró, incentivado por meu pai, tem sido um mito no rádio de Imperatriz”, detalha.

Segundo ele, radialista era dedicado a profissão e buscava ensinar aos novos profissionais a “magia do rádio”. “A radiodifusão no sudoeste do estado não será mais a mesma a partir de hoje, pois ficará uma grande lacuna no rádio de Imperatriz”, lamenta.

O presidente da Associação de Imprensa da Região Tocantina (AIRT), jornalista Ozias Pânfilo, diz que “perdemos nestes últimos anos grandes companheiros da imprensa”. “O nosso amigo Corró marcou épocas e histórias no rádio imperatrizense, com o seu programa ‘A Fazenda do Corró’, desde os tempos da rádio Imperatriz”, disse.

Pânfilo recorda que o radialista era alegre e divertindo com seus ouvintes e amigos de profissão. “Nós sentimos muito a morte do compadre Corró, o Clodomir Guimarães. Ele fez histórias no rádio de Imperatriz”, reconhece.

O radialista Sitônio Silva (Mirante AM) confessa que considerava o amigo como um irmão e diz que não só a cidade de Imperatriz, mas o Maranhão perdeu um grande radialista. “Todos os radialistas da região tem respeito e admiração pelo Clodomir Guimarães, inclusive eu, pois foi ele que me colocou no rádio”, finalizou.

Gil Carvalho é jornalista imperatrizense, editor do Jornal Tribuna do Tocantins.

Nota deste jornalista: Também convivi com o companheiro Corró na Mirante AM de Imperatriz em meados da década de 90. Espirituoso, Corró era um comunicador que falava a linguagem sertaneja com muito humor e critividade. da mesma forma era com os colegas, um eterno "gozador", sempre com uma boa "tirada" que despertava o riso por mais triste que alguém estivesse. Minhas condolências aos seus familiares, desejando que o criador o receba no conforto dos eleitos, na certeza de que o além ganhou mais um humorista. Descanse em paz, Corró!

2 comentários:

Edvaldo dos Santos Ferreira disse...

Caros leitores,
O companheiro Corró foi mestre na arte de comunicar. Tive o privilégio de, em l989, receber algumas dicas dele ao acompanhar "A Fazenda do Corró" no estúdio da então Rádio Imperatriz. Se a RI foi uma faculdade de comunicação na região tocantina, Clodomir Guimaães foi um professor. Ainda bem que temos Sitônio Silva para dar continuidade ao estilo. "Cumpadi Corró", você foi e continua sendo meio ídolo. Edvaldo Ferreira jornalista Brasilia

Anônimo disse...

uma perda sem tamanho para o radio maranhense...