terça-feira, 29 de maio de 2012

"UMA SENTENÇA, UMA ÁRVORE": JUSTIÇA DE JOÃO LISBOA REALIZA DIA DE MOBILIZAÇÃO NESTA QUARTA-FEIRA


Nesta quarta-feira, 29 de maio, a cidade de João Lisboa será palco de um importante evento na área do meio Ambiente. Trata-se do dia de mobilização do Projeto "Uma Sentença, Uma Árvore", idelizado pelo Juiz  Márlon Reis. "Vamos celebrar a vida e promover a defesa do meio ambiente", diz ele em nota no Facebook convocando a todos para esse importante ato.

Segundo informa Márlon, a programação será extensa e começará às 8h com passeata de conscientização ambiental e ao longo do dia acontecerão diversas palestras. 

"Está confirmada a presença do Dr. José Rodrigo de Araújo Guimarães, Engenheiro Agrônomo e Coodenador Regional da Associação Nordesta, e da Gestora Ambiental Anita da Silva, também da Nordesta, entidade que tem sede em Genebra, Suíça. Representantes da Presidência do TJMA e da CGJ-MA estarão no evento", informa o magistrado.


Por volta das 20 horas, haverá o encerramento com apresentação musical dos artistas Desamar Santos (Balsas) e Marcos Lucena (Grajaú). 

O que é o projeto "Uma Sentença, Uma Árvore"

Juíz Márlon Reis
O objetivo é reduzir o impacto ambiental provocado pelo gasto de papéis e energia com a realização das atividades  dos fóruns e demais setores do Judiciário maranhense. 

Conforme informações do TJMA, por meio deste trabalho, será estimulado o plantio de árvores a partir do número de sentenças concedidas, sendo que para cada sentença de adoção de uma criança naquele tribunal serão plantadas quatro árvores. Da mesma forma, cada conciliação formalizada poderá dar origem a três árvores e a homologação de cada  acordo judicial resultará no plantio de duas árvores.  

Instituições diversas, como o Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), também fazem parte da iniciativa, além de entidades da iniciativa privada – caso recente da empresa Alumar, que firmou parceria com o TJMA ano passado para o planejamento, implantação, execução e acompanhamento do projeto. (Fonte: TJMA)

Nenhum comentário: