sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

A VIOLÊNCIA EM SÃO JOSÉ DOS BASÍLIOS E REGIÃO, UMA MOSTRA QUE A CRISE NA SEGURANÇA PÚBLICA MARANHENSE VAI ALÉM DA PENITENCIÁRIA DE PEDRINHAS.

De arma em punho, guarda-costas da família Riograndense ameaça moradores, realiza disparos em bar, detona tiros em  Posto de Combustível, rouba moto e ainda agride uma senhora de 86 anos. O terror foi tanto que uma mulher que estava grávida ficou tão assustada que perdeu o filho.
Placa na entrada de S. José dos Basílios, crivada de balas, um aviso de como as coisas são resolvidas no município ou na região?
Fala-se hoje muito na questão prisional do Maranhão que virou o assunto da mídia nacional e até internacional, mas o problema da segurança pública no Maranhão é muito maior, mais complexo, principalmente nos grotões, nas regiões onde ainda impera a lei do mais forte, onde prefeitos e grupos políticos dominam o povo através do terror de ameaça de violências de todo tipo. Claro, tudo isso rescaldo de mais de meio século de atraso que o nosso estado vive, já que o grupo Sarney acolhe e dá proteção a esses grupos.
É o caso de Dom Pedro, onde duas famílias vivem o drama da violência; é o caso do pequeno município de São José dos Basílios. Lá a família do ex-prefeito Chico Riograndense - assassinado em Janeiro de 2012 - domina com mão de ferro a população local.  Grande parte dessa população que também tem a sua parcela de culpa já  que venderam os seus votos na última eleição.
A situação é tão grave que dariam páginas e páginas, caso resolvêssemos publicar a situação de violência em cada região ou mesmo cada município do Maranhão, no que chegamos a triste conclusão de que não basta apenas uma intervenção no sistema prisional, mas uma intervenção federal no Estado do Maranhão para promover a paz, dizimar as milícias, prender pistoleiros e restabelecer a confiança da população nas forças públicas e na própria Justiça.
Fiz esse preâmbulo para contar o mais recente episódio de violência ocorrido em São José, denunciado só agora por corajosos oposicionistas na rede social Facebook. 
Vejam a denúncia abaixo, da qual temos um áudio com entrevistas das pessoas ouvidas no local e as vítimas do celerado Antonio Mauro. questionados por que não registraram queixa na polícia, os mesmos disseram que não o fizeram temerosos de uma reação mais violenta ainda por parte do denunciado ou de perseguição por parte da própria família do prefeito:
De arma em punho, guarda-costas da família Riograndense ameaça moradores, realiza disparos em bar, detona posto de combustível, rouba moto e agride senhora de 86 anos.
Em São José dos Basílios é assim: Sob o olhar complacente do prefeito, seus capangas aterrorizam a população e declaram abertamente que quem faz parte do governo coronelista tudo pode fazer, sem que sofra qualquer tipo de repreensão.

Embora pareça exagero ou sensacionalismo, a descrição dos atos de vandalismo aqui citados, é o mais autêntico relato dos fatos ocorridos no primeiro dia do ano de 2014, no povoado Centro dos Rodrigues, município de Santo Antonio do Lopes, há pouco mais de 30 km da sede São José dos Basílios, onde segundo depoimentos de moradores, um homem identificado como Mauro, teria invadido o povoado, espalhando terror entre os moradores. 
Antonio Mauro que é guarda-costas da família do prefeito de São José dos Basílios, Walter Riograndense, já teria participado de outro episódio no ano de 2013, onde vários jagunços do prefeito estiveram na sede da Associação das Quebradeiras de Coco, em atitude intimidatória contra o Ativista da Comissão Pastoral da Terra - CPT, Marcos Robério. A “visita” inesperada aconteceu logo após Robério ter usado a Rádio Comunitária da cidade para denunciar as más práticas da gestão municipal.

Segundo relatos de moradores do povoado Centro dos Rodrigues, Mauro chegou ao povoado por volta de 13:00 horas logo após ter deixado uns policiais militares que ficaram de plantão no reiveillon. Mauro chegou ao bar conhecido como “Bar do Marcelo”, em companhia de um outro homem não identificado pelos moradores e de mais duas mulheres, após ter sido atendido, irritou-se com o proprietário, contra o qual efetuou dois tiros de pistola, não chegando a atingir a vítima.

Aparentando sinais de embriaguez, o meliante ainda destruiu o filtro de óleo ao jogar o veículo sobre as bombas do posto de combustíveis do povoado, que é de propriedade do Jovem empresário Marcone Lima, principal fornecedor de combustíveis para o candidato que disputou as últimas eleições contra Walter Riograndense.

No ato de vandalismo, o carro, um Fiat Strada de propriedade do secretário adjunto de obras e namorado da secretária municipal de saúde e irmã do prefeito, ficou preso aos equipamentos. Irritado com a situação e sem ter como fugir do local, Antonio Mauro teria abordado um motociclista e dando-lhe voz de assalto, obrigou-o a entregar-lhe a chave de sua moto, para tanto conduziu a vítima até as dependências de sua residência, onde o acompanhava sempre ameaçando com uma arma em punho, aterrorizando crianças e chegando até mesmo a agredir fisicamente a idosa, avó da vítima. Após concretizar o assalto da motocicleta, Antonio Mauro evadiu-se do local atirando para todos os lados, deixando para trás toda a população em pânico. Decorrente disso, a esposa do rapaz assaltado que estava grávida, infelizmente perdeu o filho.

A lavradora Maria Benta da Cruz Silva, proprietária da residência invadida relatou que em sua abordagem o elemento foi extremamente agressivo e que não poupou nem mesmo sua mãe, de 86 anos, agredindo a idosa e espalhando pânico também entre as crianças da casa.

Embora nem todos os moradores saibam identificar o meliante, todos os qualificam-no como o “segurança” particular da família do prefeito da São José dos Basílios. Moradores do povoado afirmaram que o irmão do prefeito, Mardem Riograndense esteve no povoado na quinta-feira, 02 e prometeu pagar o prejuízo de pouco mais de R$5.000,00 ao proprietário do posto, pagamento este, que até a conclusão desta matéria ainda não havia sido efetuado.

Um comentário:

suimey susy disse...

Precisamos tirar o foco so de pedrinhas, e dar atencao aos municipios e povoados do interior. Infelizmente, essa raca dos sarney`s e como um cancer, que devora o povo sem instrucao do maranhao. No dia que esse cancer for extirpado do meio do povo, a ferida vai curar sem detenca.