sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

"ESCAFDEU-SE"!! "LEANDRINHO" É MAIS UM FORAGIDO DE PEDRINHAS

O Imparcial
O detento Leandro Santos Souza, conhecido como “Leandrinho”, é considerado pela polícia como foragido da Justiça. Na manhã de ontem, ele deveria ter viajado com os outros oito internos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas para a prisão federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.
 
Um total de 35 internos de Pedrinhas, considerados pelo sistema de Segurança Pública, como lideres de facções criminosas que comandam o tráfico de drogas e responsáveis pelos atos violentos na cidade, inclusive, por ataques a coletivos serão transferidos para casa de detenções federais em outros estados no decorrer deste ano.

De acordo com informações não oficiais, Leandrinho ficou sabendo de um determinado funcionário público do estado que haveria na quinta-feira mais uma etapa de transferência a presídios federais. Como ele está cumprindo pena em regime semiaberto, na Casa de Ressocialização, no Monte Castelo, acabou não comparecendo no período da noite de quarta-feira e muito menos compareceu pela manhã do dia seguinte para assinar o termo de comparecimento.

Os policiais quando chegaram por volta das 8h de quinta-feira não encontraram Leandrinho e apenas deram ciência da ausência do interno e ainda foram feitas buscas na casa do interno, mas não o encontraram.

Outra leva
Mais uma etapa da transferência de internos para presídios federais foi executada ontem, pois, somente esta semana foi a segunda e sendo a terceira, no decorrer deste ano. Esta ação faz parte do pacote de medidas emergenciais criado pelo Ministério da Justiça e pelo governo do Maranhão, como forma de coibir os problemas do sistema carcerário do Estado.

A operação foi realizada logo nas primeiras horas da manhã de ontem, comandada pelo tenente-coronel José Raimundo Sá, comandante do Batalhão de Choque, que utilizou 70 policiais militares, nove viaturas e oito motocicletas. Ainda contou com o trabalho dos agentes do Sistema Penitenciário Federal, Grupo de Escolta e Operações Especiais (Geop) e integrantes da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), visando dar garantias aos presos que restavam sendo transferidos para Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e evitar qualquer tentativa de fuga ou resgate dos detentos.

No hangar do Estado, os detentos foram submetidos a exame de corpo de delito por uma médica legista da Polícia Judiciária e depois entregue a policiais federais que os escoltaram até a uma aeronave da Força Nacional.

Os transferidos são considerados de alta periculosidade e foram identificados como Claudiomir Reis Cantanhede, conhecido como “Carroceiro”; Fábio Bezerra Sousa Cortês – o “Paulista” e Daniel Oliveira Souza, que se encontravam na Central de Custódia de Presos de Justiça – CCPJ, do Anil. Já do Centro de Detenção Provisória foram transferidos José Leandro Souza Barbosa e Ydenilson Pereira Santos, conhecido como “Piolho”. Da CCPJ de Pedrinhas foi levado Francisco Wagno Sousa Mesquita, conhecido como “Irmão”. Da Penitenciária de Pedrinhas foram levados Almir Ferreira dos Santos Filho, “Homemzinho” e João Batista Silva Mendes o “Escobar”, traficante da Vila Embratel e acusado de matar um investigador da Polícia Civil.

Um comentário:

celso russo disse...

Muito bem, PONTO para o Nosso Judiciário, mais uma vez ganhou da Polícia, liberando mais um criminoso para que nas Ruas ele que não apresenta nenhum risco aos Cidadãos Marginais, segundo o Juiz ou juiza que deu o benefício do Regime Semi Aberto, esse Traficante e Assaltante é um Cidadão de Bem....