sexta-feira, 25 de julho de 2014

AVANÇO IMPORTANTE: CAI O NÚMERO DE CASOS DE HANSENÍASE EM IMPERATRIZ

Imperatriz reduz em 63% a detecção de novos casos da doença
Prefeito Madeira e a Secretária de Saúde Conceição Madeira com equipe do centro de referência
em Dermatologia de Imperatriz
O excelente trabalho realizado pela equipe do Centro de Referência em Dermatologia Sanitária de Imperatriz desde que foi implantado o projeto de Redução e Controle da Hanseníase, vem sendo destaque nas avaliações dos resultados obtidos e nas ações realizadas pelo município. Na apresentação dos números feita esta semana ao prefeito Madeira, e a Secretária de Saúde Conceição Madeira, Isabela Goulart, coordenadora do Centro de Referência Nacional em Hanseníase da Universidade Federal de Uberlândia, destacou que Imperatriz teve uma queda de 54,4% na detecção geral de novos casos de hanseníase no município.

Além disso, Isabela Goulart apresentou por meio de gráficos, os dados estatísticos do estudo que comprova segundo ela, que houve uma redução de 63,42% na detecção de novos casos em mores de 15 anos. “O investimento da secretaria na questão da equipe do projeto, da qualificação da equipe, está fazendo com que Imperatriz mostre redução na detecção. E a detecção de novos casos em menores de 15 anos demonstra que nós estamos tratando os adultos para que essas crianças não adoeçam. Imperatriz é um município que doente, chama todos os contatos, como você já vai tratar os doentes, você também faz um tratamento profilático nos contatos para evitar que os portadores sadios entre eles e os infectados subclínicos possam  adoecer ou mesmo favorecer a disseminação do bacilo na comunidade.“A quimioprofilaxia é uma coisa já feita em outros países e recomendada pela Organização Mundial de Saúde. Quando a gente trouxe essa proposta  para o prefeito e para secretária e eles entenderam a importância de fazer esse projeto, colocamos em prática e desde então nós estamos fazendo uma coisa totalmente inovadora, e com certeza isso vai trazer cada vez novos resultados”, finalizou Goulart. 

O Projeto 

Implantado há cerca de quatro anos em parceria com o Centro de Referência Nacional em Hanseníase da Universidade Federal de Uberlândia, o projeto de Redução e Controle da Hanseníase, faz a vigilância da infecção e o mapeamento dos casos de hanseníase em Imperatriz e trata os contatos com medicação profilática, ou seja, antes de adoecer.  Devido ao bom desempenho das atividades propostas e implementadas pela gestão municipal, Imperatriz foi contemplada no segundo semestre do ano passado com kits para fazer o teste rápido de hanseníase, tornando-se a primeira cidade do mundo a realizar este teste. Os kits é composto por um equipamento de última geração - smartreader, com software desenvolvido especialmente para facilitar interpretação dos resultados e para armazenar os dados, possibilitando um melhor controle por parte da gestão municipal e do ministério da Saúde. Além disso, recebeu também a capacitação para a prática dos testes que diagnosticam a doença em 10 minutos (Ascom- Maria Almeida).

Nenhum comentário: